Sabotagem das Farc deixa 300 mil sem eletricidade na Colômbia

Explosão de rede de transmissão, atribuída a rebeldes, ocorreu no sábado; situação deve se normalizar em 3 dias

Efe,

12 de maio de 2008 | 15h10

Cerca de 300 mil pessoas em cinco localidades do Departamento de Nariño, no oeste da Colômbia, estão sem eletricidade devido a uma sabotagem das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) na rede de transmissão local, na fronteira com o Equador, anunciaram as autoridades nesta segunda-feira, 12.   Veja também: Líder das Farc escapa de atentado   A situação afeta principalmente a região de Tumaco, segundo porto do país na costa do Oceano Pacífico e importante centro pesqueiro, advertiu em Pasto, capital regional, o governador interino de Nariño, Guillermo García.   A emergência começou no sábado, com a explosão de uma torre de transmissão em Ospina Pérez, região montanhosa de Ricaurte, indicou o governador, que atribuiu a ação à coluna de Mariscal Sucre das Farc.   A distribuidora de energia na região disse que mobilizou uma centena de técnicos na região, mas ressaltou que a atuação na área do ataque ainda não foi possível por razões de segurança. García disse que os civis não podem entrar na região, uma vez que não há tropas militares no local para examinar se os rebeldes semearam minas nos arredores.   Segundo um funcionário, a sabotagem traz um prejuízo diário de cerca de US$ 2,8 milhões. Os operadores da rede declararam que a situação será normalizada em aproximadamente 3 dias.

Tudo o que sabemos sobre:
FarcColômbiasabotagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.