SAIBA MAIS-Principais frases de Hugo Chávez

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, que morreu na terça-feira aos 58 anos, era conhecido por sua retórica inflamada, por suas frases hilariantes e pelas ferozes críticas que lançava aos adversários.

DIEGO ORÉ E ENRIQUE ANDRES PRETEL, Reuters

05 de março de 2013 | 21h27

A seguir, algumas das frases mais famosas do militar reformado, que governava a Venezuela desde 1999:

FEVEREIRO DE 1992 - Após comandar um golpe de Estado frustrado:

"Lamentavelmente, por enquanto, os objetivos que nos propusemos não foram alcançados (...), virão novas situações e o país precisa rumar definitivamente para um destino melhor."

DEZEMBRO DE 1998 - Na véspera de ser eleito presidente:

"Claro que estou disposto a entregar (o poder em cinco anos). Já disse que inclusive antes."

"Não (há intenção de nacionalizar) absolutamente nada. Estamos dispostos a dar facilidades aos capitais privados internacionais para que venham investir."

"(Cuba) é, sim, uma ditadura, mas não posso condenar Cuba."

FEVEREIRO DE 1999 - Posse como presidente:

"Juro diante do meu povo que, sobre esta moribunda Constituição, farei cumprir, impulsionarei as transformações democráticas para que a república tenha uma nova Carta Magna adequada aos novos tempos."

FEVEREIRO DE 2000 - Para sua mulher, no Dia dos Namorados:

"Marisabel, te prepara que nesta noite vou te dar o que é teu."

ABRIL DE 2002 - Durante um breve golpe de Estado contra si:

"Sou um presidente preso, eu não renunciei."

MAIO DE 2002 - Na 2ª cúpula UE-AL, na Espanha:

"O neoliberalismo é o caminho que conduz ao inferno."

JANEIRO DE 2005 - Para a então secretária de Estado dos EUA, Condoleezza Rice:

"Parece que ela sonha comigo. Sou capaz de convidá-la a uma reunião para ver o que ela tem comigo. Disse que estava deprimida por causa de Chávez, meu pai! Que se esqueça de mim. Eu não faço esse sacrifício pela pátria, que outro faça."

ABRIL DE 2005 - A empresários venezuelanos:

"Ser rico é mau, é desumano. Assim eu digo, e condeno os ricos."

NOVEMBRO DE 2005 - Na 3a Cúpula dos Povos, na Argentina, imprecando contra a Área de Livre Comércio das Américas (Alca), proposta pelos EUA:

"Alca, Alca, ‘al carajo'."

MARÇO DE 2006 - Para o então presidente dos EUA, George W. Bush:

"Você é um ignorante, Mister Danger, é um burro, ou, para dizê-lo no meu inglês ruim, no meu bad English: you are a donkey, Mr. Danger (...). Covarde, assassino, genocida, você é um alcoólatra, Mister Danger, você é o que há de pior."

SETEMBRO DE 2006 - Para George W. Bush, na Assembleia Geral da ONU:

"Ontem o diabo esteve aqui (Chávez se persigna), neste mesmo lugar, ainda cheira a enxofre."

DEZEMBRO DE 2006 - Na 2ª Cúpula Sul-Americana de Nações, na Bolívia:

"Acho que estamos sofrendo de impotência política. Precisamos de um Viagra político."

JANEIRO DE 2007 - Assumindo um novo mandato:

"Por Cristo, o maior socialista da história, por todas as dores, por todos os amores, por todas as esperanças que farei cumprir com os mandatos supremos desta maravilhosa Constituição, ainda que custe a minha própria vida. Pátria, socialismo ou morte."

NOVEMBRO DE 2007 - Em resposta ao "Por que não se cala?" proferido pelo rei da Espanha:

"Se eu me calar, gritariam as pedras dos povos da América Latina que estão dispostos a ser livres de todo o colonialismo depois de 500 anos de colonização." (Parafraseando Jesus no Evangelho de Lucas)

SETEMBRO DE 2008 - Ao expulsar o embaixador dos EUA:

"Vão ao caralho, ianques de merda, que aqui há um povo digno. Vão ao caralho, cem vezes. Aqui estamos os filhos de Bolívar, os filhos de Guaicaipuro, os filhos de Túpac Amaru e estamos resolvidos a sermos livres."

FEVEREIRO DE 2009 - Ao conseguir aprovar uma emenda constitucional:

"Eu me consumo e me consumirei por toda a vida ao serviço pleno do povo venezuelano. Farei isso gostosamente. Eu me consumirei tudo o que restar de vida, assim juro e prometo diante de meus filhos e netos." (Parafraseando São Paulo na Carta aos Romanos)

ABRIL 2009 - Para Barack Obama, na 5ª Cúpula das Américas, em Trinidad e Tobago:

"I want to be your friend." ("Quero ser seu amigo.")

JULHO DE 2010 - Sobre o então papa Bento 16

"O papa não é nenhum embaixador de Cristo na Terra, como eles dizem. Pelo amor de Deus! Que coisa é essa? Embaixador de Cristo... Cristo não precisa de embaixador, Cristo está no povo."

JANEIRO DE 2011 - Conversa telefônica pública com o presidente da filial do banco espanhol BBVA:

"O senhor está me dizendo que o banco não está à venda, mas eu posso expropriá-lo já, imediatamente, se eu quiser."

MARÇO DE 2011 - Sobre a extinção da vida em Marte.

"Não seria estranho que em Marte tenha existido civilização, mas talvez tenha chegado lá o capitalismo, chegou o imperialismo e acabou com esse planeta."

JULHO DE 2011 - Anunciando que sofria de um câncer:

"Exames (...) confirmaram a existência de um tumor abcessado com presença de células cancerígenas, o que tornou necessária a realização de uma segunda intervenção cirúrgica que permitiu a extração total de tal tumor."

OUTUBRO DE 2011 - Sobre as eleições presidenciais de um ano depois

"Mais fácil será que um burro passe pelo buraco de uma agulha do que esta oposição ganhe eleições contra Chávez."

DEZEMBRO DE 2011 - Sobre Obama.

"Obama é uma fraude, uma fraude total. Se eu pudesse ser candidato nos Estados Unidos ganharia de você, ganharia por 80 x 20 (por cento), ganharia com toda essa gente boa que você tem."

DEZEMBRO DE 2011 - Acusando a CIA de lhe provocar o câncer:

"Seria estranho que tivessem desenvolvido uma tecnologia para induzir o câncer e ninguém soubesse até agora, e se descubra isso dentro de 50 anos? Não sei, isso deixo para a reflexão."

JANEIRO DE 2012 - Antes do seu discurso mais longo, de nove horas e meia:

"Eu lhes prometo que pelo menos farei o esforço de não ser tão, tão extenso."

ABRIL DE 2012 - Chorando em uma missa de Páscoa:

"Dá-me tua coroa, Cristo, dá-me-la que eu sangro. Dá-me tua cruz, cem cruzes que eu as levo, mas dá-me vida, porque ainda me restam coisas a fazer por este povo, por esta pátria. Não me leva ainda."

JULHO DE 2012 - No início da campanha eleitoral:

"Disseram que eu não poderia percorrer o país, ‘esse aí vai ficar trancado no (palácio presidencial de) Miraflores em campanha virtual, pelo Twitter e vídeo', disseram e se riram de mim como tiveram vontade (...), mas agora eu ando percorrendo o país."

SETEMBRO DE 2012 - Sobre a campanha eleitoral dos EUA:

"Acho que Obama, se fosse de Barlovento ou algum bairro de Caracas, votaria em Chávez. Obama é um bom sujeito (...), eu votaria em Obama."

OUTUBRO DE 2012 - Após ser novamente reeleito:

"Foi uma batalha perfeita."

DEZEMBRO DE 2012 - Após lançar Nicolás Maduro como potencial sucessor:

"Minha opinião firme, plena, como a lua cheia, irrevogável, absoluta, total, é que num cenário que obrigaria a convocar de novo eleições presidenciais, vocês elejam Nicolás Maduro como presidente da República Bolivariana da Venezuela. Eu lhes peço isso do meu coração."

(Reportagem de Diego Oré e Enrique Andrés Pretel)

Tudo o que sabemos sobre:
VENEZUELACHAVEZFRASES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.