SAIBA MAIS-Reféns mantidos pelos rebeldes colombianos

Rebeldes colombianos das Farc libertaram nesta quinta-feira um ex-político mantido refém por mais de sete anos na terceira libertação de sequestrados esta semana. As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, as Farc, ainda mantêm centenas de reféns por resgate ou vantagem política em sua guerra de décadas, mas vem sendo combatida pelo governo do presidente Alvaro Uribe, apoiado pelos Estados Unidos. A seguir, saiba mais sobre os reféns mantidos pelas Farc e outros grupos armados: * Sequestros na Colômbia caíram de cerca de 3.000 em 2002 para 437 no ano passado, resultado da política de segurança de Uribe, de acordo com o Ministério da Defesa. * Rebeldes das Farc ainda mantêm centenas de reféns para pagamento de resgate e cerca de outros 20 importantes reféns, inclusive políticos, policiais e soldados que, segundo eles, devem ser negociados em troca de guerrilheiros detidos. * Em julho do ano passado, a ex-candidata à presidência Ingrid Betancourt, três empreiteiros norte-americanos e outros 11 reféns mantidos pelas Farc foram resgatados pelo Exército da Colômbia. Os rebeldes foram enganados a entregar seus mais importantes reféns a oficiais de segurança que se fizeram passar por trabalhadores humanitários. * Em outubro, um comandante rebelde escapou com um político mantido refém há mais de oito anos em um sinal da dificuldade das Farc em manter seus rebeldes unidos sob pressão militar. * Reféns libertados e fugitivos contam condições terríveis em campos secretos na selva, onde eles eram alvos constantes de operações do Exército, sofriam com doenças e onde alguns eram amarrados ao pescoço em árvores para evitar que escapassem. * As Farc desejam que o linha-dura Uribe retire tropas de uma área rural equivalente ao tamanho da cidade de Nova York para a criação de uma área segura para troca de reféns. Uribe, cujo pai foi morto em um sequestro mal-sucedido em 1983, disse que tal recuo permitiria que os rebeldes se reagrupasses. Ele propôs uma área menor com observadores internacionais. (Reportagem de Helen Popper em Bogotá)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.