SAIBA MAIS-Referendo pode autorizar reeleição de Chávez

Os venezuelanos vão às urnas no domingo para um referendo sobre uma emenda constitucional que elimina os limites para a reeleição em cargos majoritários, o que permitiria ao presidente Hugo Chávez permanecer no poder enquanto continuar vencendo eleições. Por que o referendo é importante? A votação será um indicador de por quanto tempo o esquerdista Chávez, de 54 anos, será capaz de manter a sua autointitulada "revolução socialista", iniciada com sua posse, há dez anos. Se sair vencedor no referendo, Chávez, cuja popularidade é alimentada por programas sociais financiados com o petróleo, terá a chance de governar durante décadas. Se perder, prenuncia-se o possível fim de seu movimento, pois seu mandato termina em 2013 e ele não tem um líder evidente que possa sucedê-lo - inclusive porque muitos de seus seguidores admitem que seus principais assessores são corruptos e incompetentes. Chávez poderá disputar a reeleição se perder no domingo? Ele já tentou mudar as regras eleitorais anteriormente, sem sucesso, e a Justiça recentemente declarou que ele poderia ainda convocar outro referendo caso perca o de domingo. Também seria possível que ele convocasse uma Assembleia Constituinte para reformar a Carta e lhe assegurar o direito de concorrer à própria sucessão em 2012. Que efeito a votação terá sobre outros governos esquerdistas? Chávez é o mais notório integrante da atual onda esquerdista na América Latina, e oferece petróleo e empréstimos baratos a aliados como Cuba, Bolívia, Equador e Argentina. Uma vitória reforçaria sua imagem como líder da esquerda regional, enquanto uma derrota pode ampliar a influência do Brasil, sob o comando do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Que efeito terá o referendo sobre as relações com os EUA? A vitória legitimaria ainda mais o governo de Chávez, contrariando as acusações do Departamento de Estado dos EUA de que seria um autocrata. Uma derrota poderia permitir ao governo Obama endurecer sua posição diplomática, fugindo da atual política norte-americana dos últimos meses, que é a de evitar o confronto. Chávez habitualmente ridiculariza funcionários norte-americanos que criticam seu governo, e nos últimos meses o Departamento de Estado decidiu que deixaria de morder essa "isca", já que o conflito tende a valorizar a imagem de Chávez entre seus seguidores. Qual será o efeito da votação sobre a economia e o petróleo? O indicador mais importante para a economia venezuelana é o preço do barril de petróleo, que já caiu mais de cem dólares desde o recorde alcançado em julho de 2008. Qualquer que seja o resultado do referendo, Chávez enfrentará desaceleração do crescimento e cortes de gastos. Mas, se vencer, terá mais capital político para adotar reformas dolorosas. A vitória de Chávez também obrigará as empresas internacionais de petróleo a buscarem uma maior aproximação com um governo de tendências estatizantes. (Reportagem de Brian Ellsworth)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.