Santa Cruz começa aplicar seu regime autônomo na Bolívia

Assembléia Legislativa do Departamento funciona baseando-se no estatuto autônomo, que La Paz considera ilegal

Ansa,

15 de maio de 2008 | 19h14

A Assembléia Legislativa do Departamento (Estado) boliviano de Santa Cruz começou a funcionar nesta quinta-feira, 15, baseando-se no estatuto autônomo aprovado pelas autoridades da região, apesar de ser considerado ilegal pelo governo federal da Bolívia e não estar contemplado pela Constituição.   Veja também: Referendo revogatório divide a oposição boliviana Evo aceita referendo que pode tirá-lo do poder na Bolívia Referendo autônomo de Santa Cruz tem aprovação de 85,5%   Rubén Costas, o governador do departamento, que assumia o título de prefeito recebeu nesta quinta o título de governador, outorgado pelo estatuto autônomo aprovado pelo referendo do dia 4 de maio.   O presidente boliviano, Evo Morales, reiterou que apóia somente as autonomias departamentais previstas no projeto oficial da nova Constituição do país e advertiu que processará os promotores das medidas autonômicas consideradas ilegais.   Segundo o vice-ministro de Descentralização Administrativa, Fabian Yaksic, essas medidas só "buscam estabelecer um estado federal ou associado que romperia a unidade jurídica e territorial do país."   O chefe dos deputados do partido governista Movimento ao Socialismo (MAS), César Navarro, disse que a transação para as autonomias deve ser realizada como parte da "nova Constituição" e com base em um grande acordo nacional, pois o estatuto autonômico de Santa Cruz precisa de uma sustentação legal.   Segundo o dirigente do partido opositor Podemos, Antonio Franco, "esse tipo de ameaças e bravatas não corresponde", mas admitiu a possibilidade de buscar acordos.

Tudo o que sabemos sobre:
BolíviaSanta Cruzautonomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.