Santos chega ao poder na Colômbia com popularidade de 76%

Mudança de governo após gestão popular gera otimismo nas pessoas, diz analista

JACK KIMBALL, REUTERS

30 de julho de 2010 | 15h17

O presidente eleito da Colômbia, Juan Manuel Santos, assumirá o cargo mais alto da nação andina com uma popularidade maior do que o líder que está prestes a sair, Álvaro Uribe, a quem se atribui uma queda drástica na violência no país, indicou uma pesquisa de opinião nesta sexta-feira.  

Veja também:

link Farc propõe diálogo com Santos

A Colômbia está muito mais segura agora do que quando Uribe assumiu o poder em 2002, graças a uma ofensiva apoiada pelos EUA contra os guerrilheiros de esquerda. O sucesso dele contra os rebeldes e traficantes de drogas o manteve popular e trouxe aumento nos investimentos.

Santos -- que assume o cargo no dia 7 de agosto e lidera o Partido 'U', de Uribe -- irá se tornar presidente com uma aprovação de 76 por cento dos colombianos, um ponto percentual acima de seu antecessor e o líder mais popular na história da Colômbia.

"Estamos na fase de lua-de-mel porque, quando há uma mudança de governo e termina um governo popular, isso gera muito otimismo nas pessoas", disse Jorge Londono, diretor do Gallup, que divulgou sua pesquisa na mídia local.

Santos, que foi ministro da Defesa e obteve a maior votação na história da Colômbia em junho, se beneficiou do forte apoio ao atual presidente na zona rural.

Quando Uribe assumiu o poder no primeiro de seus dois mandatos, os guerrilheiros marxistas controlavam largas porções do território e conseguiam executar ataques em cidades importantes -- incluindo um ataque ao palácio presidencial em 2002.

Oito anos mais tarde, porém, os rebeldes estão confinados a áreas remotas e rurais do quarto maior produtor de petróleo da América Latina -- e isso abriu novas partes do país a uma atividade econômica cada vez maior, melhorou a imagem da Colômbia e manteve a popularidade de Uribe.

A pesquisa Gallup - que entrevistou 1.200 pessoas em cinco grandes cidades entre 16 e 24 de julho - registrou 52 por cento dos pesquisados dizendo que o país estava melhorando, versus 41 por cento dizendo a mesma coisa em fevereiro deste ano.

À medida que Uribe se prepara para deixar o poder, 80 por cento dos colombianos aprovam o trabalho que ele faz. Há muita especulação sobre seu futuro político pós- presidência.

Metade dos colombianos afirmou que o país continuaria a melhorar com o início do governo Santos, que prometeu manter as políticas de segurança e pró-empresariais de Uribe.

Tudo o que sabemos sobre:
COLOMBIASANTOSPOPULARIDADE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.