Santos promete não baixar guarda depois 'ato terrorista' em Bogotá

Carro-bomba explodiu na capital colombiana nesta quinta-feira; nove ficaram feridos

Efe

12 de agosto de 2010 | 10h54

BOGOTÁ - O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, prometeu não baixar a guarda na luta contra o terrorismo, depois da explosão nesta quinta-feira, 12, de um carro-bomba em Bogotá perto do prédio onde está localizada a Rádio Caracol Radio. Ao menos nove pessoas ficaram levemente feridas.

 

Veja também:

linkExplosão deixa nove feridos em Bogotá

 

"Como todo ato terrorista, o que querem é perturbar, gerar medo na população. Não vão conseguir. Isso nos lembra que não podemos baixar a guarda, o país deve ficar absolutamente tranquilo", disse Santos aos jornalistas, no local da explosão.

 

O líder acrescentou que apenas três das pessoas feridas tiveram que ser levadas a hospitais, mas com ferimentos leves. "Comemoro por não ter que lamentar nenhuma vítima humana", acrescentou.

 

Santos assegurou que fatos como o ocorrido hoje lembram que não se pode "baixar a guarda em matéria de segurança democrática" e disse que os colombianos podem ficar "totalmente tranquilos". "Foram (causados) apenas danos materiais, não causaram danos estruturais em nenhum edifício", acrescentou.

 

O presidente, que tomou posse no sábado, pediu que os colombianos continuem "a vida normal" e que a imprensa não entrem no jogo "dos terroristas". Santos acrescentou que as vítimas serão tratadas e que os autores do atentado serão investigados. Nenhum grupo reivindicou o ataque.

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaSantosatentadoBogotáCaracol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.