Sarkozy faz apelo para que Farc libertem Ingrid Betancourt

Presidente se dirige ao chefe da guerrilha, Manuel Marulanda, e diz aos reféns que não esquecerá deles

Efe,

06 de dezembro de 2007 | 00h08

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, pediu na quarta-feira à noite na TV francesa que membros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) libertem a ex-candidata presidencial colombiana Ingrid Betancourt e outros seqüestrados. Sarkozy pediu ao chefe das Farc, Manuel Marulanda, que ponha Betancourt, seqüestrada em 23 de fevereiro de 2002, em liberdade, junto com outros 40 seqüestrados pela guerrilha sul-americana. Em mensagem para os reféns, o presidente francês disse que a "França não esquecerá de vocês". O apelo acontece depois da polícia colombiana encontrar vídeos e cartas de Betancourt e outros reféns na semana passada, revelando estarem enfraquecidos e desanimados. O presidente francês deu as boas-vindas, em 24 de setembro último, à mediação do venezuelano, Hugo Chávez, para conseguir a libertação dos seqüestrados pelas Farc. Os trabalhos de mediação de Chávez foram suspensos recentemente pelo presidente colombiano, Álvaro Uribe. Em reunião em setembro passado em Nova York (EUA) com Mélanie Betancourt, filha da candidata presidencial colombiana, o governante francês ressaltou que "a obsessão da França é fazer com que Ingrid seja devolvida com saúde e o mais rápido possível a sua família".

Tudo o que sabemos sobre:
FarcFrançaIngrid Betancourt

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.