Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Alberto Raggio/DyN/Efe
Alberto Raggio/DyN/Efe

Secretário de Transportes da Argentina renuncia após acidente de trem

Colisão deixou 51 mortos e expôs falhas no sistema ferroviário de Buenos Aires

Reuters

07 de março de 2012 | 12h39

BUENOS AIRES - O secretário de Transportes da Argentina, Juan Pablo Schiavi, renunciou nesta quarta-feira, 7, informou a mídia local, duas semanas depois do acidente de trem que causou a morte de 51 pessoas em Buenos Aires e colocou em evidência falhas graves no sistema ferroviário.

A decisão, incomum para um governo que não costuma substituir funcionários questionados, foi tomada depois de a Justiça proibir Schiavi de deixar o país. A proibição foi anunciada pelo juiz que investiga se a concessionária que opera a linha ferroviária onde ocorreu o acidente e os funcionários que deviam controlá-la cometeram algum delito.

Foi o terceiro pior acidente ferroviário da história da Argentina e aconteceu quando o trem que entrou na estação terminal de Once, perto do centro da capital argentina, não conseguiu frear e se chocou contra a plataforma. Schiavi disse no dia do acidente que poderia ter ocorrido alguma falha nos freios. Na semana passada, ele foi hospitalizado por um problema de saúde.

Nos últimos meses houve vários acidentes ferroviários graves em Buenos Aires e em sua periferia populosa, onde grande parte dos trens suburbanos está em mau estado de manutenção, de acordo com relatos de usuários e funcionários.

A operação do sistema ferroviário argentino foi privatizada na década de 1990, embora o Estado seja responsável pela regulação e controle do serviço.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.