Secretário-geral da OEA diz que Honduras deve ser suspensa

O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, afirmou que vai regressar ao país neste domingo

EFE,

04 de julho de 2009 | 22h03

O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, afirmou que os chanceleres devem aplicar o artigo 21 da Carta Democrática Interamericana e realizar a suspensão de Honduras, por causa do golpe de Estado do domingo passado.

 

Veja também:

linkNa Nicarágua, Zelaya conta como foi destituído

especialEntenda a origem da crise política em Honduras

som Podcast: De Honduras, Gustavo Chacra comenta expectativas para volta de Zelaya

som Podcast: Representante da OEA analisa atual situação em Honduras

som Podcast: Professor da Unesp analisa Golpe de Estado em Honduras

som Podcast: Especialista teme que países sigam o exemplo

linkPerfil: Eleito pela direita, Zelaya fez governo à esquerda

lista Ficha técnica: Honduras, um país pobre e dependente dos EUA 

 

O titular da OEA disse que o novo governo e a Corte Suprema de Honduras "não têm nenhuma disposição para modificar sua conduta" para restituir o deposto presidente Manuel Zelaya, restaurar a democracia e o Estado de Direito, e portanto "não existe alternativa" para a suspensão desse país.

 

 O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, afirmou que vai regressar ao país neste domingo, mesmo diante da ameaça de que seja preso ao fazê-lo.

 

O governo interino hondurenho, instaurado após a deposição de Zelaya no domingo passado, diz que o presidente afastado cometeu 18 delitos, entre eles traição à pátria.

 

O anúncio do presidente foi feito em uma gravação enviada à emissora de televisão regional Telesur.

 

 Milhares de seguidores de Zelaya se reuniram neste sábado, 4, diante do aeroporto de Tegucigalpa, bloqueando por alguns momentos o acesso, após uma marcha por toda a cidade.

Tudo o que sabemos sobre:
honduras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.