Segredos marcaram trajetória de Fidel Castro

A renúncia de Fidel Castro àliderança de Cuba, nesta semana, continua cercada de mistérios,como ocorreu com o dirigente durante toda a vida dele. Qual a doença que o obrigou a afastar-se? Onde permaneceudurante os últimos quase 19 meses, período durante o qual nãoapareceu mais em público? Fidel, 81, lançou mão de segredos para suplantar seusinimigos. E isso é compreensível, tratando-se de um homem que,segundo se diz, escapou de mais de 600 tentativas deassassinato, a maior parte delas tramada pela CIA (agência deinteligência dos EUA). Desde que caiu doente e entregou o poder provisoriamente aRaúl, seu irmão, em julho de 2006, Fidel deixou claro que suadoença era um assunto delicado e não um assunto de domíniopúblico. "Devido aos planos do império (EUA), meu estado de saúde seconverte em um segredo de Estado a respeito do qual não se podeficar constantemente divulgando informações", afirmou. E assim se deu. Até o dia de hoje, os cubanos sabem apenasque Fidel esteve à beira da morte, mas não sabem por qualmotivo. Os segredos em torno do ex-dirigente são guardados comtanto afinco que não se conhece nem mesmo o local onde Fidel serecupera. Alguns dos líderes de outros países que o visitaram dizemter sido levados até o Palácio da Revolução, onde Fidelmantinha seu gabinete. Outros acreditam, no entanto, que o ex-líder cubanoencontra-se no Cimeq, um hospital para os dignatários do regimecomunista localizado em um bairro residencial da área oeste dacapital. Conta-se que, durante anos, Fidel jamais dormiu duas noitesno mesmo lugar. Ele circulava por Cuba em uma caravana com três carrosMercedes Benz pretos idênticos, e a presença dele nas cúpulasrealizadas no exterior nunca está 100 por cento confirmadaantes de sua chegada. Tampouco se sabe onde fica a casa de Fidel, apesar de haverrumores dando conta de que se trata de um complexo chamadoPonto Zero, anteriormente, segundo boatos, um refinado campo degolfe localizado no bairro de Jaimanitas. Até a ideologia comunista dele foi objeto de mistério nosprimeiros anos da revolução. Diferentemente de outros líderes mundiais, a vida privadade Fidel não comparece aos jornais. O único dos filhos dele que ocupa um cargo público é FidelCastro Diaz-Balart, o "Fidelito", um engenheiro nuclear quetrabalha como assessor científico do Conselho de Estado. Até hoje, poucos cubanos sabem que seu líder é casado comDalia Soto del Valle, uma professora com quem teve outros cincofilhos homens cujos nomes começam com a letra "A". Fidel nunca abandonou suas idéias sobre estratégia militar.Em 1953, quando organizou o ataque contra o quartel Moncada, emSantiago de Cuba, sua primeira e desastrosa ação militar, quasetodos os seus companheiros só ficaram sabendo do objetivo dainvestida no último minuto. Em sua mensagem de renúncia, Fidel revelou que havia tomadoa decisão dois meses atrás e que tentou dar uma pista a esserespeito em uma carta enviada, em dezembro passado, a umjornalista do canal público de TV de Cuba. "Nem mesmo o destinatário das minhas cartas conhecia meupropósito", escreveu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.