Sem grande expectativa, reunião da OEA na Bolívia só anima moradores locais

Sob um improvisado guarda-sol, Cristina Guzmán assistia pacientemente ao intenso movimento de carros que tirou a tranquilidade do pequeno vilarejo que recebe a reunião de chanceleres da OEA, em Cochabamba.

HUGO BACHEGA, REUTERS

03 de junho de 2012 | 20h48

Numa cadeira de praia, aguardava interessados nos sanduíches à venda na pequena barraca que montou em frente ao hotel onde se realiza a assembleia-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), em Tiquipaya. E não estava sozinha. Outra meia dúzia de moradores também viu no evento chances de negócios.

Mas, horas antes da abertura oficial do encontro, somente policiais e jornalistas serviam de clientes das barracas.

"Está fraco o movimento, não?", comentou Cristina, com certa frustração.

Não era só a clientela dos vendedores ambulantes que estava baixa. O encontro, que reúne ministros de Relações Exteriores do continente, gerou pouca expectativa, sem nenhum assunto de grande impacto em discussão.

O principal desfalque será a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, que não participará do encontro, que vai até terça-feira. O ministro Antonio Patriota também não deve comparecer.

Cerca de 2 mil policiais foram destacados para patrulhar Tiquipaya durante os dias do evento. O governo impôs uma lei seca até quarta-feira como medida de segurança.

O tema do encontro é segurança alimentar, mas poderá haver discussões sobre a antiga reinvindicação boliviana de uma saída para o mar e um apoio à Argentina no impasse com a Grã-Bretanha sobre as ilhas Malvinas, mas ambos os assuntos não devem ter grandes progressos, disseram diplomatas à Reuters.

O presidente boliviano, Evo Morales, abriu o evento, neste domingo. Apesar de ser um encontro de chanceleres, o presidente convidou o colega equatoriano, Rafael Correa, que participará do encontro na segunda-feira.

Mais conteúdo sobre:
OEABOLIVIAESVAZIADA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.