Senador colombiano é condenado por ligação com paramilitares

Luis Eduardo Vives deve ficar preso por 7 anos por formação de quadrilha e alteração de resultados eleitorais

Efe,

01 de agosto de 2008 | 17h04

A Corte Suprema de Justiça (CSJ) da Colômbia condenou nesta sexta-feira, 1, a sete anos de prisão o senador Luis Eduardo Vives por formação de quadrilha e alteração de resultados eleitoral, informaram fontes judiciais. A Sala Penal do Alto Tribunal o condenou por ter alianças com grupos paramilitares de seu Departamento natal, Magdalena, ao norte do país, para obter benefícios políticos. Veja também:Acusado de laços com 'paras', líder da coalizão de Uribe renuncia Como Vives, quase setenta parlamentares colombianos são acusados de vínculos com paramilitares, escândalo conhecido como "parapolítica". A metade desses congressista - muitos dos quais já deixaram seus cargos - encontram-se detidos. A CSJ já condenou somente três dos acusados - além de Vives, a justiça considerou culpado também os congressistas Erik Morris Taboada (condenado em dezembro a sete anos de prisão) e Mauricio Pimiento (cuja pena também foi sete anos de detenção, sentenciada em maio).

Tudo o que sabemos sobre:
Colômbiaparamilitares

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.