Senadora recomenda às Farc que não libertem Betancourt

Ex-mediadora da negociação disse também que a guerrilha não deve aceitar a proposta do governo francês

EFE

08 de junho de 2008 | 19h29

A senadora Piedad Córdoba, ex-mediadora na negociação com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), recomendou a esta guerrilha que não entregasse Ingrid Betancourt nas libertações unilaterais que os rebeldes realizaram no início do ano, nem que considerassem uma proposta do Governo francês, publicou neste domingo, 8, a revista "Semana". Em uma mensagem encontrada nos computadores do ex-chefe das Farc "Raúl Reyes", um membro da comissão internacional desta guerrilha dá detalhes de uma suposta reunião que teve com a senadora no dia 11 de dezembro de 2007, 20 dias depois de o Governo suspender seu trabalho de mediadora junto ao presidente da Venezuela, Hugo Chávez. O rebelde, identificado como César, diz na mensagem a "Raúl Reyes" que Córdoba lhe comentou, entre outras coisas, "que Ingrid está magra, mas que sempre foi magra e não vai morrer por isto". Além disso, afirmou "que ela acredita que é necessário soltar algo e entregar a Chávez na fronteira, mas que não seja Ingrid, pois o restante não importa nada para eles". Além disso, diz "que a proposta de Nicolas Sarkozy não importa nada", em referência ao pedido do governante deque Betancourt fosse libertada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.