'Severa infecção' agrava estado de saúde de Hugo Chávez, diz governo

Presidente venezuelano teve deterioração de sua condição respiratória, anunciou comunicado oficial

O Estado de S.Paulo

05 de março de 2013 | 00h23

CARACAS - A saúde do presidente venezuelano, Hugo Chávez, de 58 anos, piorou por causa de uma severa infecção e uma deterioração de sua condição respiratória, anunciou nesta segunda-feira, 4, à noite o governo por meio de um comunicado oficial.

O presidente, que não tem sido visto desde 10 de dezembro, quando viajou para Cuba para se submeter à quarta cirurgia por causa de um câncer na região pélvica, voltou há duas semanas para a Venezuela e está recebendo quimioterapia de "forte impacto", segundo o governo, para combater o câncer descoberto em 2011.

"No dia de hoje houve uma piora da função respiratória, relacionada com o estado de imunodepressão próprio de sua situação clínica, e atualmente ele apresenta uma nova e severa infecção", disse o ministro de Informação e Comunicações, Ernesto Villegas, em rede de rádio e TV.

"O presidente vem se submetendo a sessões de quimioterapia de forte impacto, entre outros tratamentos complementares, com os ajustes derivados da evolução de seu quadro clínico, e o estado geral continua sendo muito delicado", acrescentou o ministro.

Na sexta-feira à noite, o vice-presidente venezuelano, Nicolás Maduro, anunciou que Chávez tinha voltado a ser submetido a quimioterapia, acrescentando que as sessões só foram possíveis em razão da melhora do estado de saúde do presidente. Ele também afirmou que a decisão de retornar a Caracas para continuar o tratamento foi tomada pelo próprio presidente. As últimas imagens do presidente são fotos divulgadas pelo governo quando ele ainda estava em Havana. Nas fotos, ele está sorridente ao lado de duas filhas.

O governo tem divulgado poucas informações sobre o estado de saúde do presidente e, há vários dias, circulam rumores de que Chávez já estaria morto.

A onda de boatos voltou a crescer na quarta-feira, após uma breve visita do ministro da Defesa Diego Molero ao Hospital Militar Dr. Carlos Arvelo, onde Chávez está internado, e das declarações do ex-embaixador do Panamá ante a OEA Guillermo Cochez, segundo as quais Chávez já teria "morte cerebral". "O paciente foi desconectado das máquinas que o mantinham vivo havia quatro dias", disse Cochez. "A informação que tenho é a de que Chávez está com morte cerebral desde 30 de dezembro. E nesse estado ele foi trasladado à Venezuela, pois não queriam desconectá-lo em Cuba." / EFE e REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaHugo Chávez

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.