Victor Carreira/AP
Victor Carreira/AP

Sobe para 4 o número de mortos por choque entre 2 trens na Argentina

Acidente aconteceu em uma passagem de nível quando um trem de passageiros foi atingido por outro; 40 pessoas estão feridas

Efe,

17 de fevereiro de 2011 | 00h26

BUENOS AIRES - Pelo menos quatro pessoas morreram e mais de 40 ficaram feridas por causa de um choque entre dois trens na localidade de San Miguel, a cerca de 30 quilômetros de Buenos Aires, informaram nesta quarta-feira, 16, fontes oficiais.

 

O acidente ocorreu em uma passagem de nível quando um trem de passageiros "foi atingido por outro", informou a Unidade de Gestão Operacional Ferroviária de Emergência (Ugofe) à agência estatal Télam.

 

O governador da província de Buenos Aires, Daniel Scioli, confirmou aos jornalistas que quatro pessoas morreram e outras 14 estão gravemente feridas por causa do incidente, que qualificou como "uma tragédia, uma desgraça".

 

"Nossa prioridade é atender os feridos mais graves", assinalou Scioli, após o acidente ocorrido por volta das 19h hora local (20h de Brasília), quando várias pessoas voltavam do trabalho.

 

As vítimas "ficaram nas paredes externas de dois vagões e pudemos libertar três mulheres que estavam presas entre os ferros retorcidos", disse o chefe de bombeiros de San Miguel, Oscar Ferrari, que só confirmou dois mortos.

 

"Mais de 40 pessoas feridas já foram retiradas, com diferentes níveis de complexidade" em suas lesões, assegurou o prefeito de San Miguel, Joaquín de la Torre.

 

Por sua parte, o ministro da Saúde, Alejandro Collia, afirmou que "vários feridos graves estão sendo operados".

Os feridos foram transferidos para vários hospitais próximos, enquanto o serviço de trens da linha San Martín continua interrompido, assinalaram os porta-vozes.

 

Os bombeiros trabalham no local para tirar as vítimas que ficaram presas no trem de passageiros.

"Muita gente caiu e pessoas ficaram presas. Havia gente machucada", disse uma testemunha.

 

O porta-voz do setor ferroviário La Fraternidad, Horacio Caminos, assegurou que "o choque foi muito violento".

 

"Aparentemente, o cargueiro não viu o sinal que indicava que o trem estava parado. Não me lembro de nada parecido durante muitos anos", acrescentou De la Torre.

 

O secretário de Transporte argentino indicou que "vai iniciar imediatamente uma investigação para estabelecer as causas do acidente, porque os sinais são automáticos e funcionam corretamente".

Tudo o que sabemos sobre:
Argentina, acidente, trem

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.