Sósia de Evo Morales é seqüestrado por indígenas

Valerio Queso, que interpretou o presidente da Bolívia, foi acusado de invadir terras em comunidade aimara

EFE,

20 de dezembro de 2008 | 15h40

O dirigente rural Valerio Queso, que interpretou o presidente da Bolívia, Evo Morales, no cinema, foi atacado e seqüestrado por membros de uma comunidade aimara. Ele é acusado de liderar a ocupação de  terras da comunidade, informou neste sábado a imprensa local. Queso, de 33 anos e cuja notável semelhança com Morales fez com que protagonizasse o filme Evo Pueblo (2007), se transformou nos últimos meses no líder do Movimento dos Sem-Teto de La Paz, que procura terrenos para construir casas. O jornal La Prensa disse que a Polícia resgatou na sexta-feira Queso e outros dois dirigentes do movimento, que estavam em poder de 400 camponeses que os tinham retido na localidade de Tacachira, nos arredores da cidade de El Alto, vizinha de La Paz. Na quinta-feira passada, os seguidores de Queso ocuparam dez hectares pertencentes a essa comunidade aimara, que reagiu tomando como reféns os dirigentes do movimento. Eles foram agredidos e ameaçados de serem queimados vivos no meio de uma assembléia. A polícia negociou com os líderes de Tacachira e os convenceu a entregar os reféns, em meio a vários incidentes, já que os camponeses mais radicais insistiam em linchar Queso. Após exames médicos que comprovaram que as contusões e os golpes não colocavam em risco sua vida, os três dirigentes abandonaram na sexta-feira à noite o hospital.

Tudo o que sabemos sobre:
BolíviaSequestro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.