Suíça parabeniza libertação de Betancourt

O país há anos intergrava o grupo de 'países amigos' que buscavam a libertação dos reféns

Efe

02 de julho de 2008 | 20h34

A Suíça expressou sua alegria pela libertação de 15 reféns em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), entre os quais está a franco-colombiana Ingrid Betancourt, e parabenizou o Governo colombiano pela operação de seu Exército. Veja também:Resgate foi absolutamente impecável, diz IngridQuem são os ex-reféns libertados pelo Exército colombianoEUA elogiam operação de resgateRice pede às Farc que libertem outros refénsResgate de Ingrid é vital para a paz, diz EvoFarc devem selar paz com Uribe, diz embaixadorO drama de IngridPor dentro das Farc Histórico dos conflitos armados na região   Depoimento dos filhos de Ingrid (em espanhol)  Em um comunicado emitido horas após o anúncio das libertações, o Ministério de Assuntos Exteriores da Suíça diz que compartilha "a alegria das famílias das pessoas libertadas, mas também a dor das pessoas que continuam sofrendo a privação de sua liberdade há muitos anos". Na nota, o departamento também pede que as Farc libertem todos os reféns que têm em seu poder "o mais rápido possível". "Felicitamos o Governo colombiano por terem conseguido libertar os reféns", diz a nota, que destaca especialmente a libertação de Betancourt, ex-candidata à Presidência da Colômbia, após mais de seis anos em cativeiro. A Suíça, do chamado "grupo de países amigos", que, também integrado por Espanha e França, há anos tenta obter um acordo humanitário para a soltura dos seqüestrados pela guerrilha, afirma que as três nações vão "continuar com seus esforços para conseguir a libertação de todos os reféns, na esperança de que estes esforços contribuam para o fim deste drama e tragam paz a todos os colombianos".

Tudo o que sabemos sobre:
ingrid betancourt

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.