Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

'Telesur' afirma ter recebido imagens de Moncayo na selva em sua redação

Governo da Colômbia havia acusado canal de saber coordenadas do resgate do ex-refém das Farc

Efe,

30 de março de 2010 | 21h56

O canal de TV venezuelano Telesur disse nesta terça-feira, 30, que transmitiu imagens do sargento Pablo Emilio Moncayo antes e depois de ser liberado pelas Farc após ter recebido dois vídeos em sua redação.

 

Veja também:

linkApós libertação de Moncayo, Farc fica com 21 reféns passíveis de troca

linkMoncayo chega a Florencia após ser resgatado na selva colombiana

blog‘Os colombianos estão muito gratos aos militares brasileiros’

linkColômbia diz que TV venezuelana sabia coordenadas de resgate de Moncayo

mais imagens Galeria de fotos: Veja imagens do resgate

blog Blog: veja como foi a operação

 

A emissora com sede em Caracas afirmou em seu noticiário que divulgou imagens do primeiro vídeo enviado no qual se vê Moncayo "horas antes de ser entregue à missão humanitária" e posteriormente "as primeiras imagens" do sargento já em liberdade.

 

Esta foi a resposta da Telesur a um comunicado do alto comissário para a paz da Colômbia, Frank Pearl, no qual o governo colombiano afirma que o canal "se prestou a fazer propaganda" das Farc por divulgar imagens do refém.

 

"Este meio de comunicação deve explicar ao país porque estava em um ponto do território colombiano em companhia de guerrilheiros das Farc", disse Pearl a jornalistas no aeroporto de Florencia, onde pouco depois chegou o sargento Moncayo como homem livre.

 

Em um comunicado posterior, a emissora afirmou que seu integrantes estão preocupados com "esta irresponsável condenação do governo colombiano, que está voltado a estigmatizar nosso trabalho jornalístico". O canal também afirmou temer que o governo "atente contra a segurança de nosso pessoal nessa nação, país onde existe um elevado recorde de jornalistas assassinados e violações dos direitos humanos".

 

Após reiterar que as imagens "não foram gravadas" por seus funcionários, a emissora acrescentou que "em operações militares de resgate, onde inclusive havia perigo de vida dos reféns das Farc, o governo da Colômbia gravou e publicou detalhes das missões".

 

Em Florencia, a senadora colombiana e mediadora ante as Farc para a liberação de reféns, Piedad Córdoba, e o monsenhor da Igreja Católica Leonardo Gómez, que também integra a missão, afirmaram que não viram câmeras da Telesur no local de entrega do sargento Moncayo.

 

"O certo é que nós nem nos demos conta disso, em todas as oportunidades a guerrilha sempre tem uma câmera com que filma tudo que está acontecendo. Nós não vimos câmeras da Telesur nem absolutamente nada", disse Córdoba.

 

As primeiras imagens de Pablo Emílio Moncayo transmitidas pelo canal o mostraram impaciente pela chegada da missão humanitária que posteriormente o resgatou, e esperançoso com o reencontro com sua família após mais de 12 anos de cativeiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.