Tempestade Alma perde força após atingir a América Central

Homem morre eletrocutado; fenômeno é a primeiro da temporada de furações que começou em maio

Agências internacionais,

30 de maio de 2008 | 07h29

A tempestade tropical Alma perdeu força nesta sexta-feira, 30, e foi rebaixada a depressão tropical depois de ter castigado a costa da América Central e ter deixado um morto. Um homem de 30 anos foi eletrocutado em Trasbayo, na Nicarágua, depois que uma rede de cabos elétricos foi atingida pelos ventos de 100 quilômetros por hora e pelas chuvas torrenciais. Além da Nicarágua, Costa Rica, Honduras e El Salvador estavam em estado de alerta para o fenômeno.   Na Costa Rica, mais de 800 pessoas foram retiradas de áreas de risco, 42 mil estão sem eletricidade, 30 comunidades foram afetadas e deslizamentos de terra bloquearam estradas. O último relatório oficial da Comissão Nacional de Emergências (CNE) indica que foram habilitados sete abrigos para o atendimento de desabrigados.   Na Península de Nicoya, província de Guanacaste e Puntarenas, foram registradas quedas de postes elétricos e árvores sobre os cabos devido a fortes ventos que castigaram esses lugares na noite de quarta-feira. Por causa disso, 42 mil pessoas se encontram sem eletricidade, mas 150 funcionários do Instituto Costarriquenho de Eletricidade (ICE) trabalham para restabelecer o serviço nas próximas horas.   Na manhã de sexta, a velocidade dos ventos do sistema havia caído para 48 quilômetros por hora, segundo informações do Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos. A expectativa dos meteorologistas é de que a tempestade se dissipe no sábado.   O Centro Nacional de Furacões informou que a Alma foi a primeira tempestade tropical de que se tem registro a atingir a América Central pela costa do Oceano Pacífico. Esse tipo de tempestade, quando ocorre no Pacífico, normalmente forma-se mais ao norte, especialmente na costa mexicana. Elas são mais comuns na costa centro-americana do Oceano Atlântico.   Matéria atualizada às 08h40.

Tudo o que sabemos sobre:
AlmaAmérica Central

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.