Tempestade Dolly força a retirada de 23 mil pessoas no México

Dolly ganha força em águas quentes do Golfo do México e pode virar furacão; Defesa Civil decreta alerta laranja

Efe,

22 de julho de 2008 | 16h51

As autoridades mexicanas, com o apoio do Exército, começaram nesta terça-feira, 22, a retirar cerca de 23 mil pessoas no Estado de Tamaulipas (nordeste), pela proximidade da tempestade tropical Dolly, que pode virar um furacão. Em entrevista coletiva, o secretário de governo, Juan Camilo Mouriño, confirmou que já teve início a "fase de retirada" nos municípios de Matamoros, Soto la Marina e San Fernando, áreas que correm grande risco de serem inundadas.   Veja também: Tempestade tropical Dolly pode virar furacão e atingir Texas   Imagem de satélite divulgada pela Administração Oceânica e Atmosférica dos EUA (NOAA) mostra o avanço da tempestade Dolly. Foto: Efe   A operação já conta com a colaboração de soldados da Secretaria de Defesa Nacional (Sedena), que ativou o plano DN-III e enviou 300 homens para Matamoros, cidade que faz fronteira com os Estados Unidos, para apoiarem as autoridades locais em trabalhos "de prevenção e retirada."   A tempestade tropical Dolly estava às 13h (horário de Brasília) a 330 quilômetros de La Pesca, em Tamaulipas. Entre este município e Matamoros se estabeleceu uma área de alerta preventivo, segundo informações do Serviço Meteorológico do México (SMN).   A entidade afirmou que Dolly está "ganhando força em águas quentes do Golfo do México" e já causa "ventos fortes e aumento das ondas" diante do litoral de Tamaulipas.   O Sistema Nacional de Defesa Civil (Sinaproc) decretou alerta laranja (perigo alto) para este Estado e para as plataformas da Pemex diante de seu litoral, que poderia passar para vermelho (máximo) nas próximas horas caso seja confirmada a previsão de trajetória. Mouriño também disse que a Pemex "iniciou o plano de emergência" na região norte.

Tudo o que sabemos sobre:
MéxicoDolly

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.