Tempestade tropical Arlene atinge o México

Grandes áreas da região central do México enfrentaram chuvas torrenciais depois que a tempestade tropical Arlene, a primeira da temporada dos furacões no Atlântico, chegou à costa mexicana na barreira arenosa de Cabo Rojo, na manhã desta quinta-feira.

ALBERTO FAJARDO, REUTERS

30 de junho de 2011 | 13h08

As autoridades mexicanas recomendaram aos moradores das comunidades que estão na rota da tempestade que deixem a região, e a empresa petrolífera estatal Pemex estava em alerta devido ao perigo para suas refinarias e outras instalações.

Mas o Centro Nacional de Furacões dos EUA (NHC) disse que a Arlene provavelmente não se tornará um furacão e que é improvável que atinja diretamente as instalações petrolíferas marítimas.

"O aviso de furacão provavelmente será suspenso", disse o NHC.

A Arlene chegou em terra ao sul de Tampico, onde a Pemex tem sua refinaria de Madero, que produz 190 mil barris de óleo por dia (bpd). A Pemex disse que a refinaria continua a operar como sempre, mas reforçou a segurança de navios-tanques e embarcações menores no porto adjacente.

O governo mexicano estendeu o aviso de furacão de La Cruz em direção sul até a área da praia de Barra de Nautla, em Veracruz, 320 quilômetros ao sul de Tampico.

No interior, refinarias maiores em Salamanca, com 245 mil bpd, e Tula, com 315 mil bpd, também estão no caminho previsto da tempestade.

O México é grande exportador de petróleo para os Estados Unidos, e quase todo seu petróleo é exportado a partir do Golfo do México.

As autoridades mexicanas dizem que a previsão era que até o sábado a tempestade atingisse uma área de 700 quilômetros de largura e encharcasse partes da região central do país, afetando áreas tão distantes quanto a costa do Pacífico. Cerca de 20 Estados devem ser atingidos.

Avançando em direção oeste, a tempestade Arlene tinha ventos constantes máximos de 100 quilômetros por hora e, na manhã de quinta, estava a 75 quilômetros ao norte da cidade pesqueira de Tuxpan, em Veracruz.

Ventos fortes e entre 10 e 20 centímetros de chuva estão previstos para os Estados orientais de Tamaulipas, Veracruz e o leste de San Luis Potosi, devendo chegar até a Cidade do México na sexta-feira.

De acordo com o NHC, até 38 centímetros de chuva podem cair em regiões montanhosas, "com a possibilidade de causar enchentes e deslizamentos de terra".

A costa atlântica norte do México é muito procurada por turistas locais devido a suas praias, mas muitas cidades litorâneas pobres não têm barreiras contra enchentes.

As chuvas podem trazer algum alívio aos produtores de cana-de-açúcar, sorgo e árvores frutíferas da região, que vêm sofrendo os efeitos de uma estiagem prolongada.

O furacão Beatriz, a segunda tempestade tropical da temporada no Pacífico, atingiu o México na semana passada mas não causou danos extensos.

Tudo o que sabemos sobre:
MEXICOTEMPESTADETROPICAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.