Tempestade tropical Arthur perde força sobre o México

A tempestade tropical Arthur,a primeira do ano no Atlântico e segunda a atingir as Américas,perdeu força e virou apenas depressão ao passar sobre Yucatán,no México, no domingo, mas ainda assim ameaçava provocarenchentes na península de baixa altitude. O Arthur, que na manhã de domingo estava previsto parapassar sobre o Golfo do México, onde há muitas instalaçõespetrolíferas, continuou sobre terra firme, e agora a previsão éque continue assim. De acordo com o Centro Nacional de Furacões, em Miami, osventos sustentados da tempestade caíram para 55 quilômetros porhora, e o Arthur levou muita chuva a partes do sul de Yucatán,alem dos vizinhos Belize e Guatemala. Estão previstos até 25centímetros de precipitação pluviométrica. O Arthur também pode produzir chuvas isoladas de até 38centímetros sobre o Yucatán, região que possui alguma produçãoaçucareira. "Essas chuvas podem provocar inundações e deslizamentos deterra perigosos, especialmente em áreas montanhosas", disse ocentro de furacões. O Serviço Meteorológico do México também avisou sobre apossibilidade de deslizamentos de lama e ressacas marítimasperigosas nos Estados de Yucatán, Quintana Roo, Capeche,Chiapas e Tabasco, no sul do país. Formado um dia antes do início oficial da temporada defuracões no Atlântico (1o de junho), o Arthur teve seuepicentro a 200 quilômetros ao sul do porto colonial deCampeche e estava se deslocando para o oeste a 13 quilômetrospor hora. "A expectativa é que esse movimento continue nos próximosdois dias," disse o centro de furacões americano. "Se continuarnessa rota, a previsão é que o Arthur continue sobre o sul doMéxico. Outra tempestade tropical, Alma, formada no Pacífico, sedesfez na sexta-feira sobre as montanhas da América Central,depois de atingir a costa Pacífica da Nicarágua com força,deixando três mortos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.