Erika SANTELICES / AFP
Erika SANTELICES / AFP

Tempestade tropical Laura deixa Cuba e segue para os EUA

A tempestade deixou 24 mortos no Haiti e na República Dominicana, e pode se tornar furacão nesta terça-feira, 25

Redação, O Estado de S.Paulo

25 de agosto de 2020 | 04h37

A tempestade tropical Laura, que pode se tornar furacão na terça-feira, 25, começou a se afastar de Cuba, onde deixa um rastro de fortes chuvas, e iniciou a viagem rumo aos Estados Unidos, que já está sob ameaça do ciclone enfraquecido Marco. Após viajar no mar do Caribe por toda a costa de Cuba, de leste a oeste, Laura tocou terra na noite desta segunda-feira, 24, na região de Punta La Capitana, em San Cristobal, de acordo com um relatório oficial.

Duas horas depois, a tempestade voltou para o mar por Puerto Esperanza e iniciou a viagem pelo Golfo do México. "Já saiu para o mar a ampla região central da tempestade Laura, pelas imediações de Puerto Esperanza, província de Pinar del Rio", explicou o meteorologista José Rubiera à TV estatal cubana. "Ela irá se afastar aos poucos e seus efeitos irão diminuir, embora ainda há chuva", completou.

Rubiera alertou que o olho da tempestade é seguido por uma enorme masse de nuvens, o que sugere intensas chuvas mesmo se o fenômeno climático se afastar do território cubano. Laura deixa Cuba após causar a morte de pelo menos 24 pessoas no Haiti e na República Dominicana, que compartilham a ilha La Española, e viaja rumo aos Estados Unidos, que já está sob ameaça do ciclone Marco.

A previsão é que Laura ganhe força quando iniciar o trajeto até os Estados Unidos. "Depois de passar por Cuba é praticamente certo, quando entrar no Golfo do México, que já seja um furacão", acrescentou Rubiera. Essa previsão coincide com a do Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC), que prevê que  Laura se torne furacão entre terça e quarta-feira e alcance o litoral dos EUA.

Enquanto isso, o furacão Marco perdeu força e foi rebaixado para tempestade na noite de domingo, produzindo "chuvas fortes e rajadas de vento ao longo de setores da costa norte do Golfo" do México, segundo o NHC. É esperado na costa sudeste de Louisiana no final desta segunda-feira, onde deve perder ainda mais intensidade, se transformando em uma depressão tropical.  /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.