Serviço Geológico dos EUA via EFE
Serviço Geológico dos EUA via EFE

Terremoto de 6,9 graus mata 5 ao atingir fronteira da Guatemala com o México

Pelo menos três vítimas morreram por parada cardíaca; 609 foram afetadas e 72 sofreram danos mais sérios

O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2017 | 07h02

CIDADE DA GUATEMALA - Um terremoto de magnitude 6,9 na escala Richter - que varia de 0 a 10 graus - atingiu o oeste da Guatemala, próximo à fronteira com o México, na América do Norte, no início da manhã desta quarta-feira, 14. Ao final do dia foram constatadas cinco vítimas fatais, entre elas quatro mulheres, 609 pessoas afetadas e 72 sofreram mais com o imapcto. Houve prejuízos 'moderados' em casas e deslizamentos de terras em estradas, conforme as autoridades locais.

As vítimas mortais foram registradas na região sul e sudoentes, em Retalhuleu, Quetzaltenango e San Marcos, segundo confirmação do diretor da Coordenação para Redução de Desastre (Conred),  Sergio Cabañas. Pelo menos três das mortes se deveu a paradas cardíacas durante os tremores.  

O serviço de Geologia dos Estados Unidos informou que o centro do tremor foi localizado a 8 quilômetros a sudoeste da cidade de Tajumulco, na Guatemala, 111 quilômetros abaixo da superfície. As equipes de emergência relataram que o terremoto foi sentido à 1h29min no horário local (4h29min no horário de Brasília) no departamento de São Marcos, no oeste, mas também foi notado em outras regiões do país.

Até o momento foram foram contabilizados pelo menos 43 residências com danos leves e 12 que foram mais bruscamente atingindas. Cinco escolas sofreram com os tremores.

O terremoto foi sentido por El Salavador, mas não causou danos ao país. Todo o estado de Chiapas, no México, sofreu o abalo.

Próximos dias. Eddy Sánchez, diretor do Instituto de Sismología (Insivumeh), afirmou que há chance de novos tremores nos próximos dias. "Por exepriências anteriores, imaginamos que vá continuar".  A Guatemala está localizada em região de placas tectônicas, o que propicia esses tremores./ AP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.