Dario Lopez/AP
Dario Lopez/AP

Terremoto deixa Haiti mais vulnerável a época de furacões

Edificações destruídas preocupam especialistas; temporada de furacões de 2010 será mais ativa que o normal

Efe,

17 de fevereiro de 2010 | 17h25

O terremoto que devastou boa parte do Haiti em janeiro deixou o país em uma situação de enorme vulnerabilidade diante da temporada de furacões que começa em junho, apontaram nesta quarta-feira, 17, especialistas ouvidos pela agência Efe.

 

Veja também:

linkOMS pede reforço médico no Haiti por 'pelo menos seis meses'

 

"A vulnerabilidade do Haiti diante de tempestades tropicais ou furacões é maior do que o normal em consequência do terremoto", disse Sharan Majumdar, professor de meteorologia e de oceanografia da Universidade de Miami (UM).

 

Para o professor, a situação do Haiti desperta uma "preocupação muito séria" em relação à temporada de furacões de 2010 no Oceano Atlântico, que será mais ativa do normal, segundo as previsões de especialistas da Universidade do Colorado.

 

Na opinião de Majumdar, é alarmante que "muitos edifícios, estradas e casas ainda estejam em péssimo estado quando a temporada de furacões chegar com ventos fortes, tempestades e enchentes".

 

Na segunda-feira, 15, as fortes chuvas que caíram na cidade de Cap-Haitien, no norte do país, derrubaram

VEJA TAMBÉM:
video Assista a análises da tragédia
mais imagens As imagens do desastre
blog Blog: Gustavo Chacra, de Porto Príncipe
especialEntenda o terremoto
especialInfográfico: tragédia e destruição
especialCronologia: morte no caminho da ONU
lista Leia tudo que já foi publicado
parte de uma escola, causando a morte de quatro crianças.

 

De acordo com o meteorologista William Gray e sua equipe da universidade do Colorado, se espera para 2010 a formação de entre 11 e 16 tempestades e seis e oito furacões no oceano Atlântico, dos quais entre três e cinco serão de categorias 3, 4 ou 5, as mais altas.

 

A última temporada de furacões no Atlântico, que afeta a área do Caribe, México, América Central e Estados Unidos, terminou com a formação de nove tempestades tropicais e três furacões.

 

Segundo o Escritório de Coordenação para Assuntos Humanitários das Nações Unidas (OCHA, na sigla em inglês), o terremoto no Haiti deixou 300 mil feridos e 1,2 milhão de pessoas sem teto.

 

De acordo com um estudo do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), a reconstrução do Haiti custará entre US$ 8 bilhões e US$ 14 bilhões.

 

Em 2008, cerca de 900 pessoas morreram no Caribe, a maioria no Haiti, por causa de 16 tempestades tropicais, das quais oito se transformaram em furacões.

 

A temporada de furacões começa em 1º de junho e termina em 30 de novembro.

Tudo o que sabemos sobre:
terremotoHaitifuracõesvulnerável

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.