Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Terremoto deixou déficit de 300 mil casas, diz Piñera

Danos provocados pelo tremor foram avaliados inicialmente em US$ 30 bilhões por Ministério do Tesouro

Agência Estado,

12 de março de 2010 | 14h08

O terremoto de magnitude 8,8 na escala Richter e o subsequente tsunami que atingiram o Chile no dia 27 de fevereiro deixaram um déficit de 300 mil residências no país. A afirmação foi feita nesta sexta-feira, 12, pelo presidente Sebastián Piñera. O ministro das Finanças, Felipe Larraín, estimou que o custo total do terremoto para o país ficará entre US$ 20 bilhões e US$ 30 bilhões.

 

Veja também:

linkDanos do terremoto podem chegar a US$ 30 bilhões, diz Chile

A gestão de Piñera, político de centro-direita, buscará resolver o problema habitacional rapidamente, antes da chegada do inverno na região. Muitas das zonas afetadas pelo terremoto no centro e sul do país sofrem com fortes chuvas durante a temporada mais fria do ano.

VEJA TAMBÉM:
especialEntenda o terremoto no Chile
especialOs piores terremotos desde 2000
mais imagens Galeria de fotos sobre a tragédia
lista Tudo o que foi publicado

O governo estuda várias soluções, entre elas casas pré-fabricadas ou residências subsidiadas pelo governo que podem ser construídas pelos futuros moradores. "Nós estamos avaliando as casas pré-fabricadas porque nossa capacidade de construção está comprometida", afirmou Piñera, no palácio presidencial. "Essas casas são definitivas, de grande qualidade, usadas nos países desenvolvidos." As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.