Terror não pode paralisar os governantes, diz Felipe Calderón

Calderón discursou no encerramento do V Congresso Internacional de Vítimas do Terrorismo

EFE

31 de maio de 2009 | 01h21

O presidente do México, Felipe Calderón, disse neste domingo que não se pode permitir que as ações dos terroristas e bandos dedicados ao crime organizado paralisem ou detenham por medo a atividade de um governante.

 

Calderón se expressou assim durante o encerramento do V Congresso Internacional de Vítimas do Terrorismo na cidade colombiana de Medellín, onde reconheceu que no México se veio repetindo esta situação nas regiões, o que gera "mais terror e impunidade".

 

"Não podemos permitir que o terror se apodere dos povoados, do povo, dos Governos que devem defender os povos; não podemos permitir que por medo ou razões políticas, ou por nenhuma razão, diminua ou se detenha a atividade do governante", disse.

 

Segundo Calderón, "a grande maioria dos atos criminosos vinculados ao terror partem ou da incapacidade da autoridade ou do medo da autoridade" e "cada vez são mais os casos em que a própria sociedade é alvo da agressão".

Tudo o que sabemos sobre:
MÉXICO, FELIPE CALDERÓN, TERRORISMO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.