Titular de imigração no México renuncia após massacre em Tamaulipas

Motivos para demissão da diretora o Instituto Nacional de Migração não foram informados

AP,

14 de setembro de 2010 | 22h45

CIDADE DO MÉXICO- A titular do Instituto Nacional de Migração (INM), Cecilia Romero, apresentou nesta terça-feira, 14, sua renúncia ao cargo após o massacre de 72 imigrantes no norte do México no fim de agosto.

 

 Veja também:

linkCidades do norte do México cancelam comemorações da Independência

linkFuncionários de prisão mexicana são acusados de ajudar 86 detentos a fugir

 

A Secretaria de Governo, que equivale ao Ministério do Interior, informou em um comunicado que aceitou a renúncia de Cecília, mas não explicou a razão dela ter deixado o cargo no qual estava desde dezembro de 2006.

 

O anúncio ocorre quase um mês depois da Marinha mexicana ter localizado cadáveres de 72 imigrantes em uma fazenda do estado de Tamaulipas, denunciados por um equatoriano que conseguiu escapar da chacina e acusou o cartel de drogas Los Zetas como responsável pelas mortes.

 

A secretaria reconheceu o trabalho de Cecília e disse que sua passagem pelo INM "dignificou" as chamadas "estações migratórias", centros de detenção temporários de imigrantes ilegais detidos em território mexicano.

 

O órgão também afirmou estar se esforçando para capacitar os agentes de imigração em matéria de direitos humanos.

 

O massacre dos imigrantes reacendeu um debate sobre os riscos enfrentados no México pelos que tentam chegar aos Estados Unidos sem documentos.

 

Grupos de direitos humanos também afirmaram que os assassinatos refletem a falta de autoridades mexicanas para proteger os imigrantes.

 

Logo após a chacina, a própria Cecília rechaçou as críticas de que a corrupção e a indiferença das autoridades mexicanas contribuíram para o aumento da violência contra os imigrantes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.