Adriana Zehbrauskas/The New York Times
Adriana Zehbrauskas/The New York Times

Transportes são restabelecidos em região atingida pelo furacão Patricia

Fenômeno perdeu força ao chegar ao México e foi rebaixado para depressão tropical; não há registro de mortes ou danos graves, mas cidades continuam sob alerta

O Estado de S. Paulo

24 Outubro 2015 | 16h15

O governador do Estado mexicano de Jalisco, Aristóteles Sandoval, afirmou neste sábado, 24, que os serviços de transportes da cidade turística de Puerto Vallarta já foram restabelecidos. A região foi atingida pelo Patricia na noite de sexta-feira, como um violento furacão de categoria 5, a maior na escala, com ventos de até 270 quilômetros por hora. Porém, na manhã deste sábado, a tormenta foi rebaixada para depressão tropical.  

Por meio de sua conta no Twitter, Sandoval disse que o aeroporto e os terminais de ônibus já estão funcionando com normalidade.  Apesar disso, Sandoval indicou que a região vai continuar em alerta, porque ainda havia "chuvas atípicas" no Estado.

Patricia, o furacão mais poderoso já registrado no Hemisfério Ocidental, se debilitou rapidamente ao tocar a terra na noite de sexta-feira, 23, no México. Durante a manhã deste sábado, porém, os ventos eram de 55 km/h. A tormenta foi rebaixada para categoria 1 e depois para depressão tropical.

Mesmo com menor potência, as autoridades mexicanas mantém o alerta pelo risco de inundações e deslizamentos por causa das chuvas torrenciais. 

O secretário federal de Turismo, Enrique de la Madrid, afirmou que as montanhas de Jalisco serviram como uma "barreira" para evitar que parte do vento chegasse a lugares como Puerto Vallarta. Ele disse que já neste sábado podem ser restabelecidos os voos comerciais em Jalisco.  

Houve registro de inundações e deslizamentos por causa de Patricia, mas não há registro de mortes nem de danos graves, segundo as autoridades. 

O fenômeno estava 155 km ao nordeste de Zacatecas. Apesar de perder força, meteorologistas preveem que ele provocará chuvas no sul do Estado norte-americano do Texas. (Com informações da Associated Press).

Mais conteúdo sobre:
México furacão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.