TV colombiana exibe vídeo do resgate de Ingrid Betancourt

Imagens mostram preparação da operação e a prisão dos guerrilheiros que escoltavam os seqüestrados

Reuters,

05 de agosto de 2008 | 08h03

Um vídeo inédito da preparação e da execução da operação militar em que foram resgatados 15 reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), entre eles a ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt, foi transmitido na segunda-feira, 4, por uma emissora de televisão local.  Veja também:Assista ao vídeo da RCNO drama de Ingrid Por dentro das Farc Histórico dos conflitos armados na região    O documentário exibido pelo canal RCN mostrou detalhes desconhecidos do planejamento e do desenvolvimento da Operação Xeque, promovida pelo Exército colombiano em 2 de julho. O vídeo, que parece ter sido gravado pelos militares, mostra o modo acelerado como os helicópteros MI-17 foram pintados de branco e estampados com o logo de uma missão humanitária fictícia para supostamente levar os reféns para outro acampamento da guerrilha. Efe Depois que os helicópteros partiram, os militares esperaram a hora indicada para chegar ao local em que dois chefes das Farc esperavam com os reféns. A operação terminou com o resgate da ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt, seqüestrada desde fevereiro de 2002; dos americanos Marc Gonsalves, Thomas Howes e Keith Stansell, presos desde fevereiro de 2003, e de outros 11 reféns. O vídeo mostra os momentos no interior da aeronave depois que um dos oficiais do Exército comunicou aos seqüestrados que eles estavam livres. O documentário também revelou o modo como os oficiais detiveram os rebeldes que acompanhavam os reféns, que eram mantidos acorrentados para que não fugissem na selva. Os guerrilheiros foram amarrados nos pés e nas mãos e vestidos apenas com roupas íntimas. Também são exibidos os instantes finais, quando termina o pesadelo do seqüestro e pode-se ver a satisfação dos libertados e dos soldados.

Tudo o que sabemos sobre:
FarcColômbiaIngrid Betancourt

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.