UE retoma contatos com Cuba e oferece ajuda

Reestabelecimento do diálogo e eliminação de sanções tentam estimular reformas do governo de Raúl Castro

Reuters,

16 de outubro de 2008 | 21h20

A União Européia ofereceu nesta quinta-feira, 16, ajuda a Cuba, especialmente às vítimas dos recentes furacões, nos primeiros contatos oficiais desde as sanções diplomáticas impostas pelo bloco contra Havana em 2003. O estabelecimento do diálogo, junto com a eliminação das sanções, em junho, é considerado o primeiro passo para a normalização das relações UE-Cuba. "A União Européia confirma sua disponibilidade de levar ajuda pós-desastre a Cuba, e em termos mais gerais de reiniciar a cooperação com o país", disse a chancelaria da França, que ocupa a presidência da UE neste semestre, após visita de uma delegação chefiada pelo chanceler cubano, Felipe Pérez Roque. Cuba e UE suspenderam seus contatos quando a UE impôs sanções diplomáticas devido à prisão de 75 dissidentes cubanos. As sanções foram abolidas em 2005, mas só foram formalmente eliminadas em 19 de junho. A reaproximação parece ser uma tentativa de estimular reformas por parte do governo de Raúl Castro. O comissário europeu de Desenvolvimento e Ajuda Humanitária, Louis Michel, deve ir a Havana entre os próximos dias 22 e 25 para "marcar a retomada formal da cooperação entre a Comissão Européia e Cuba", segundo nota divulgada por ele.

Tudo o que sabemos sobre:
CubaUE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.