Uma pessoa morre e 11 ficam feridas por minas colocadas pelas Farc

Artefatos estavam em plantação de cocaína que estava sendo erradicada a mão por camponeses

Efe,

07 de outubro de 2010 | 18h46

BOGOTÁ- Um camponês morreu e onze pessoas ficaram feridas ao pisarem em minas antipessoais que supostos guerrilheiros das Farc instalaram em campos de plantação de cocaína que estavam sendo erradicados a mão no norte da Colômbia, informaram autoridades nesta quinta-feira, 7.

 

O incidente ocorreu ontem à tarde em Las Mercedes, região da zona rural de Santa Rosa del Sur, localidade do departamento de Bolívar, afirmou a Agência Presidencial para a Ação Social e Cooperação Internacional (Ação Social), que o atribuiu à guerrilha.

 

Segundo o órgão, o morto é o camponês Julián Acosta Ortiz, de 37 anos, que há dois anos estava ligado com os chamados Grupos Móveis de Erradicação (GME) de cultivos ilegais.

 

Os onze trabalhadores feridos foram transferidos a hospitais de Bucaramanga, no departamento de Santander, vizinho ao de Bolívar.

 

Os GME foram criados em 2005 como alternativa à destruição por via aérea das plantações ilegais de coca e papoulas. Desde então, foram destruídas a mão uma área de 331.418,02 hectares, segundo a Ação Social.

Tudo o que sabemos sobre:
FarcColômbiaguerrilhacocaína

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.