Unicef denuncia o uso de crianças em conflitos na Bolívia

Organização lembra que a utilização de menores em manifestações quebra os direitos dos menores

EFE

13 de setembro de 2008 | 22h57

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), expressou hoje sua "profunda preocupação pelo uso e a presença" de crianças e adolescentes nos episódios violentos ocorridos nos últimos dias em algumas regiões do país.   Em comunicado de imprensa, a organização lembra que a utilização de menores em manifestações e confrontos violentos quebra os direitos dos menores "ao colocá-los em situações de alta vulnerabilidade, que afetam sua integridade física e têm impacto em seu desenvolvimento psico-afetivo".   Por isso, há um apelo à população boliviana e às instituições para "defender e proteger os direitos da infância, evitando que seja parte das dramáticas situações de enfrentamento que põem em risco sua vida".   A Unicef faz um apelo à cessação da violência na Bolívia e ressalta a "necessidade urgente de estabelecer corredores de paz, capazes de proporcionar ajuda humanitária o mais rápido possível às pessoas mais necessitadas".   O comunicado lembra a recente mensagem do secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, exortando todos os envolvidos a atuar com moderação e evitar mais confrontações.

Tudo o que sabemos sobre:
unicefboliviaconflitos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.