Uribe autoriza Chávez a receber enviado das Farc

Sarkozy ligou para o venezuelano pedindo que a guerrilha enviasse prova de vida de Ingrid Betancourt

Agências internacionais,

31 de agosto de 2007 | 21h44

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, anunciou na noite desta sexta-feira, 31, que seu colega colombiano, Alvaro Uribe, lhe autorizou a receber em seu país um emissário das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), para avançar nas conversações que permitam a libertação de dezenas de reféns sob poder do grupo guerrilheiro de esquerda.   Veja Também Chávez encontra Uribe para negociar refénsVenezuelano diz que indulto de 'paras' é lição Os dois governantes tiveram nesta sexta um prolongado encontro na capital colombiana e Chávez disse que está "muito otimista" com o papel que assumiu como mediador de um possível acordo entre o governo da Colômbia e as Farc.   Em entrevista coletiva conjunta com Uribe, com quem se reuniu hoje por mais de sete horas nos arredores de Bogotá, Chávez disse que recebeu na madrugada desta sexta uma resposta das Farc sobre sua gestão para a libertação dos reféns da guerrilha.   "Esperávamos uma resposta direta e esta chegou durante a madrugada. Não posso antecipar detalhes, porque devemos agir com muita calma e paciência", completou Chávez, que recebeu também o apoio do presidente da França, Nicolas Sarkozy, para negociar.   As Farc, o maior grupo guerrilheiro colombiano, mantêm reféns 45 pessoas, entre soldados, três agentes de segurança privados americanos e políticos, como a franco-colombiana Ingrid Betancourt.   Em troca da libertação dos reféns, as Farc exige que o governo solte centenas de guerrilheiros, entre eles dois comandantes que estão detidos nos EUA.   O presidente da França, Nicolas Sarkozy, solicitou também a Chávez que peça à guerrilha uma prova de vida de Betancourt, afirmou o venezuelano. "Sarkozy me pediu que ajude a conseguir uma prova de vida de Ingrid", disse Chávez.     Boas relações   Chávez disse também que seu país está disposto a retornar à Comunidade Andina (CAN), da qual se retirou formalmente em 22 de abril do ano passado.   Chávez, que esteve reunido com o presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, nos arredores de Bogotá, disse que a Venezuela recebeu convites de alguns governantes dos países-membros da CAN para voltar ao grupo.   "Recebemos um chamado dos presidentes Uribe (Colômbia), Evo Morales (Bolívia) e Rafael Correa (Equador) para retomarmos o caminho da CAN. Estamos dispostos", expressou Chávez em entrevista coletiva conjunta com Uribe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.