Uribe diz que cumpriu exigências para soltar reféns das Farc

O presidente da Colômbia, Alvaro Uribe, disse nesta segunda-feira que seu governo cumpriu todas as exigências para que as Farc libertassem dois militares e reiterou que oferecerá todas as garantias de segurança para a libertação deles.

REUTERS

14 de dezembro de 2009 | 17h24

Uribe fez o anúncio depois que se reuniu na cidade de Medellín com familiares de alguns dos reféns em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

"O governo cumpriu todas as exigências e reitera a segurança de todas as garantias para a libertação dos sequestrados", disse.

A declaração do presidente acontece no momento em que se espera que as Farc anunciem a data da libertação do suboficial Pablo Emilio Moncayo e do soldado Josué Daniel Calvo.

O governo de Uribe autorizou a senadora do Partido Liberal, Piedad Córdoba, a Igreja Católica e a Cruz Vermelha Internacional a formarem uma missão humanitária para receber os dois reféns e os restos de Julián Ernesto Guevara, morto em cativeiro.

Anteriormente, as Farc reduziram suas exigências em relação aos reféns e puseram fim à exigência para que o governo retirasse suas tropas de uma região montanhosa de 780 quilômetros quadrados para criar uma zona de segurança.

(Reportagem de Luiz Jaime Acosta)

Tudo o que sabemos sobre:
COLOMBIAFARCURIBE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.