Uribe diz que Farc entregarão corpos de 11 ex-deputados

Políticos eram reféns da guerrilha, e foram mortos em junho; Grupo não confirma anúncio do presidente

Associated Press e Efe,

30 de agosto de 2007 | 17h58

O presidente da Colômbia, Alvaro Uribe, disse nesta quinta-feira, 30, que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) entregarão no sábado os cadáveres de 11 ex-deputados mortos em junho, quando estavam como reféns da guerrilha.   Chávez vai à Colômbia negociar libertação de reféns das Farc  Sarkozy aceita ajuda de Chávez para libertar BetancourtChávez concede indulto a 41 paramilitares colombianos    "Vão entregar os cadáveres dos deputados depois de amanhã (sábado), será tarde, primeiro de setembro. Mataram-nos no dia 18 (de junho)", afirmou o presidente, em um discurso em Cartagena.   Uribe disse que as Farc devolverão os restos mortais no município de Corinto, no departamento do Cauca, vizinho ao departamento de Valle del Cauca, de onde procediam as vítimas.   O Comitê Internacional da Cruz Vermelha, que monitora a entrega dos corpos, disse que as Farc não podiam confirmar o anúncio presidencial.   O presidente colombiano revelou também que conversou nesta quinta por telefone com o presidente da França, Nicolas Sarkozy, sobre esse assunto e sobre o estado dos 45 reféns das Farc, inclusive a ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt.   Em Cartagena, Uribe revelou que foi informado da entrega dos corpos dos ex-deputados por organismos internacionais.   Seqüestro   Os 11 políticos da assembléia legislativa de Valle del Cauca foram seqüestrados em 11 de abril de 2002 pelas Farc. No último dia 28 de junho, as Farcs anunciaram que eles morreram em um episódio que a própria guerrilha atribuiu a "fogo cruzado com um grupo armado sem identificar", no dia 18 de junho.   Um dos reféns, Sigifredo López, sobreviveu porque estaria em outro local.   O governo colombiano chamou a morte dos deputados de "assassinato" e insistiu na devolução imediata dos restos mortais.   O anúncio acontece um dia antes da visita do presidente venezuelano, Hugo Chávez, ao país, como tentativa de negociação para a soltura de 49 reféns. Chávez viaja com o apoio de Sarkozy, que tem interesse especial na libertação da ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt.   As Farc exigem a desmilitarização de 800 quilômetros quadrados nos municípios de Pradera e Florida, no Valle del Cauca, para definir uma troca humanitária, mas Uribe insiste que não retirará as tropas "de nenhum centímetro" do território nacional.   Os deputados mortos e cujos corpos seriam entregues no sábado são Héctor Arismendi, Carlos Barragán, Carlos Charry, Ramiro Echeverri, Francisco Giraldo, Jairo Hoyos, Juan Carlos Narváez, Nacianceno Orozco, Edison Pérez, Alberto Quintero e Rufino Varela.

Tudo o que sabemos sobre:
UribeColômbiaFarcDeputados

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.