Uribe diz que guerrilheiro das Farc ofereceu libertar Betancourt

Um militante das Farc prometeu alibertação de Ingrid Betancourt e de outros reféns da guerrilhacolombiana caso o governo se comprometa a não extraditá-lo,disse o presidente Alvaro Uribe na sexta-feira. "A um guerrilheiro que está oferecendo que vai entregarIngrid Betancourt e outros sequestrados mandou-se uma carta queele pediu. A diretora do DAS [departamento administrativo desegurança] mandou, com minha autorização, [dizendo que] se elecumprir isso não será extraditado. Tomara que isso sejaverdade", disse Uribe, sem revelar nome ou patente doguerrilheiro em questão. As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia querem trocar40 reféns "estratégicos" por cerca de 500 militantes presos.Mas o governo e a guerrilha não se entendem nem sobre adesmilitarização de uma área de selva onde ocorreriam asnegociações -- exigência da guerrilha que Bogotá rejeita. Além de realizar duras ações militares contra a guerrilha,o governo também oferece recompensas para guerrilheiros quedesertarem ou libertarem reféns, com recursos de um fundo de100 milhões de dólares. Ele também oferece a possibilidade deasilo na França. Betancourt, cidadã franco-colombiana e ex-candidata apresidente da Colômbia, tornou-se símbolo do grupo de reféns,alguns dos quais sequestrados há mais de dez anos. O presidenteda França, Nicolas Sarkozy, faz da libertação de Betancourt umaprioridade da sua política externa. Ela foi seqüestrada em fevereiro de 2002, quando faziacampanha eleitoral no sul da Colômbia. No ano passado, aguerrilha divulgou um vídeo em que ela aparece abatida, magra etriste. Numa carta enviada à família, ela dizia que estava aponto de morrer. No começo de abril, as Farc impediram uma missãohumanitária francesa de prestar socorro a Betancourt na selva. As Farc sofreram nos últimos meses a perda de várioscomandantes seus, mortos em ataques militares ou traições. Alémdisso, seu fundador, Manuel Marulanda, morreu em março, deinfarto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.