Danny Alveal/Efe
Danny Alveal/Efe

Uribe diz que há pressão estrangeira em eleições colombianas

Presidente, contudo, não ofereceu provas concretas; polícia secreta está investigando suposta interferência

Associated Press,

10 de março de 2010 | 17h20

O presidente da Colômbia Álvaro Uribe alegou nesta quarta-feira, 10, sem oferecer provas, que governos estrangeiros "estão vetando" candidatos colombianos nas eleições para a presidência de maio.

 

Veja também:

Estadão de hoje: Colômbia dá início a campanha presidencial

 

"Há governos estrangeiros que estão vetando candidatos à presidência da Colômbia e impondo candidatos", disse Uribe em uma entrevista à emissora de rádio Colmundo.

 

"Incito a meus patriotas que não permitamos esta perversa influência estrangeira em nossa democracia (...), que esse governos estrangeiros façam danos a nosso país", pediu o líder.

 

O presidente advertiu que se os eleitores colombianos forem "fracos" e se deixarem influenciar, poderia chegar ao país um governo "como aqueles que têm em outras partes e que eliminam as instituições, afetam a iniciativa e cortam as liberdades".

 

Uribe, contudo, não deu detalhes de quais governos estavam supostamente fazendo campanha implícita contra alguns dos candidatos, de que tipos de manobras se tratavam e a quem afetavam.

 

O presidente só garantiu que assumia "a responsabilidade da denúncia, de denunciar estes atos a meus compatriotas e à comunidade internacional".

 

O diretor do Departamento Administrativo de Segurança (DAS), Felipe Muñoz, informou que a entidade tem duas investigações em andamento sobre a suposta interferência de outros países no pleito colombiano.

 

Segundo o policial, "existem muitas formas de financiar uma campanha... Não é só um tema de recursos, com apoio logístico, mas tudo se reduz a uma tema: financiar e intervir em um processo político, o que obviamente é proibido.

 

Mas, tal como Uribe, Muñoz não citou nenhum governo em especial.

 

As eleições presidenciais estão previstas para 30 de maio e ao menos sete candidatos de todas as esferas políticas, de setores conservadores até de esquerda, estão inscritos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.