Uribe diz que vai adotar medidas para atenuar alta do petróleo

O presidente da Colômbia participa da assinatura do tratado de constituição da Unasul

EFE

23 de maio de 2008 | 00h53

O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, disse nesta quinta-feira que seu Governo anunciará entre a sexta-feira e o sábado uma série de medidas para atenuar o forte impacto da alta do preço do petróleo e dos combustíveis sobre a economia de seu país. "Queremos expressar nossa preocupação, porque os preços do petróleo estão provocando riscos enormes à economia mundial", disse Uribe ao chegar a Brasília para a assinatura do tratado de constituição da União Sul-Americana de Nações (Unasul). O presidente colombiano preferiu não comentar sobre outros dos principais temas desta Cúpula, que acontece por iniciativa do Brasil num momento em que a região sofre com sérios conflitos entre vários países. Uribe disse que seu Governo prepara novos projetos para atenuar um pouco o alto custo da energia, e afirmou que os ministérios da Fazenda e da Energia vão revisar toda a política nesta área. Os subsídios aos combustíveis custam a seu Governo US$ 2,8 bilhões, ressaltou. Além deste forte impacto fiscal, a alta dos preços dos hidrocarbonetos está provocando mais inflação e um aumento do pagamento de impostos dos colombianos. Uribe disse que se reunirá na sexta-feira com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e posteriormente conversará com jornalistas sobre os temas em discussão na Cúpula da Unasul.

Tudo o que sabemos sobre:
Uribe, Petróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.