Uribe e Chávez estão dispostos a superar diferenças

Os dois presidentes teriam discutidos após comparação feita pelo presidente da Colômbia

Efe

23 de fevereiro de 2010 | 04h42

 Os presidentes da Venezuela, Hugo Chávez, e da Colômbia, Álvaro Uribe, aceitaram nesta segunda-feira, 22, a formação de um "grupo de países amigos" que auxilie os Governos a superarem diferenças após os líderes terem travado uma discussão acalorada na 2ª Cúpula da Unidade da América Latina e do Caribe.

 

"Eu disse que estou de acordo com a formação de um grupo de amigos para que recuperemos a confiança, as relações transparentes, as relações de cooperação, isso é necessário", disse Chávez a jornalistas depois do incidente.

 

Fontes da delegação venezuelana confirmaram à agência Efe que aconteceu "uma discussão acalorada" entre os dois líderes quando Uribe comparou o bloqueio dos Estados Unidos sobre Cuba com o tratamento comercial da Venezuela a empresas colombianas.

 

Porta-vozes colombianos que solicitaram o anonimato explicaram à Efe que o presidente cubano, Raúl Castro, e o líder mexicano, Felipe Calderón, anfitrião do evento, acalmaram os ânimos de Chávez e Uribe para encerrar a discussão.

 

"Nós garantimos boa vontade para relaxar as tensões", acrescentou Chávez, destacando que a iniciativa surgiu de vários países, entre eles o Brasil, além de Argentina, Chile, República Dominicana e México.

 

Em breves declarações, o presidente colombiano indicou a jornalistas que "o Governo da Colômbia aceita o acordo que propôs o Grupo do Rio, em reuniões desta tarde, presidida pelo Presidente do México".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.