Uribe felicita Forças Armadas por missão que matou de Reyes

O presidente colombiano recordou a morte de um soldado na operação e agradeceu a colaboração do Equador

Efe

01 de março de 2008 | 21h28

"Felicito aos soldados e policiais da Colômbia por essa operação", disse Uribe, que recordou a morte do soldado Carlos Hernández León e agradeceu ao presidente do Equador, país onde morreu Reyes, sua compreensão.   Veja também: Exército colombiano mata número dois das Farc Equador anuncia investigação sobre combates Chávez propõe grupo para mediar com Farc Uribe pede que Farc libertem Ingrid Betancourt Farc recebem ajuda brasileira, diz ex-refém Perfil de Raúl Reyes, o 'número dois' das FarcPor dentro das Farc  Reféns colombianos: do seqüestro à liberdade   O Ministro da Defesa, Juan Manuel Santos afirmou que Reyes foi morto dentro do território equatoriano, a 1.800 metros da fronteira com a Colômbia. O ministro alegou, porém, que o ataque partiu do território colombiano e que o presidente equatoriano, Rafael Correa, foi informado da operação pelo presidente da Colômbia, Álvaro Uribe. No entanto, ainda não é claro se a comunicação foi feita antes ou depois do ataque.   Santos afirmou que os corpos de Reyes, de Guillermo Enrique Torres, conhecido como Julián Conrado, e de outros 15 guerrilheiros foram levados para o lado colombiano para evitar que a guerrilha tentasse recuperá-los. Um soldado também foi morto na operação. A morte do líder guerrilheiro, considerado o rosto público e um dos principais porta-vozes da facção, um dos triunfos mais importantes na política de segurança do presidente colombiano que conta com o apoio dos Estados Unidos e mantém desde 2002 uma ofensiva contra as Farc.

Tudo o que sabemos sobre:
UribeFarcReyes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.