Uribe se reúne com Sarkozy para falar sobre reféns das Farc

As Farc querem trocar 44 reféns, entre eles Ingrid Betancourt, por 500 guerrilheiros presos

EFE,

21 de janeiro de 2008 | 09h58

O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, chegou nesta segunda, 21, ao Palácio do Eliseu para uma reunião com o chefe de Estado francês, Nicolas Sarkozy, centrada nos esforços para a libertação de reféns sob poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), incluindo Ingrid Betancourt. Uribe, a quem a Guarda Republicana rendeu honras militares no pátio do Palácio do Eliseu, foi recebido cordialmente por Sarkozy, que o esperava embaixo da escada do palácio presidencial. Os dois líderes trocaram um abraço e, sorridentes, posaram para as câmaras antes de entrar no edifício para sua reunião. Uribe, cuja visita à França é a primeira etapa de uma viagem européia que o levará também a Bruxelas, Espanha e Suíça, insistiu antes do encontro em que está disposto a negociar com as Farc "a partir do momento em que atuem de boa fé e não insistam em suas ações terroristas". Em entrevista, o presidente colombiano afirmou que sua prioridade é a libertação dos reféns, mas também combater os terroristas. "As medidas que temos que tomar para salvar os reféns não podem permitir que o grupo terrorista das Farc possa recuperar a capacidade" de causar danos, e "França tem que entender isso", disse. O presidente colombiano adiantou que pedirá a Sarkozy apoio para uma missão internacional médica que possa atender aos reféns da guerrilha na selva, mas as Farc, por meio de seu porta-voz Raúl Reyes, já rejeitaram a proposta de missão médica.  Uribe, que anunciou antes de sua viagem à Europa que tinha restabelecido o trabalho de facilitação da Espanha, França e Suíça para conseguir um acordo humanitário para a libertação dos reféns, quer que esse trabalho seja articulado com a mediação da Igreja Católica colombiana. As Farc pretendem trocar 44 reféns, entre eles Betancourt - seqüestrada desde fevereiro de 2002 - por 500 guerrilheiros presos.

Tudo o que sabemos sobre:
FARKURIBESARKOZY

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.