Arquivo/AE
Arquivo/AE

Uribe sugere que não tentará 3º mandato na Colômbia

Presidente tem até 12 de março para apresentar candidatura caso mais uma reeleição seja aprovada por corte

Reuters,

19 de fevereiro de 2010 | 20h16

O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, sugeriu nesta sexta-feira, 19, que não será candidato nas eleições de maio e que desistirá de tentar sua segunda reeleição consecutiva, ao se referir a um próximo presidente durante um ato de governo.

 

"Prefeitos, espero que chegue um presidente que goste de vocês a metade do que eu gostei, espero isso, digam ao próximo presidente da Colômbia que goste de vocês a metade do que eu gostei", disse Uribe em uma reunião com os mandatários municipais do país.

 

O presidente, que tem a maior parte de sua popularidade - cerca de 70% - devido as ofensivas militares contra a guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC),  não manifestou se está interessado em ser candidato no caso de Corte Constitucional considerar legal um referendo que habilitaria sua reeleição.

 

O tribunal analisa atualmente a legalidade do referendo aprovado pelo Congresso e que abriria caminho para a terceira candidatura consecutiva de Uribe.

 

O mandatário, contudo, tem pouco tempo para concluir o complicado processo que o permitiria se apresentar e que inclui a aprovação do referendo pelo alto tribunal, além de sua realização com a participação de mais de oito milhões de votantes, segundo a máxima autoridade eleitoral do país.

 

Para a Procuradoria Nacional, Uribe tem até 12 de março para se inscrever como candidato, mas se a corte aprovar o referendo antes dessa data, o mandatário ficaria fora do pleito. Os partidários de Uribe, contudo, sustentam que o prazo poderia se estender até o começo de abril.

 

A pouco mais de três meses das eleições presidenciais de 30 de maio, a campanha está concentrada em resolver se Uribe está interessado em tentar sua segunda reeleição e prolongar seu governo até 2014.

 

O presidente se mantém imabatível nas pesquisas e se fosse candidato venceria facilmente seus adversários, mas se desistir de sua candidatura ou ela não for autorizada, o ex-ministro de Defesa Juan Manurl Santos seria seu possível sucessor.

 

Uribe assumiu a presidência em 2002 com a promessa de derrotar a guerrilha esquerdista, foi reeleito em 2006 e seu atual período de governo vence no próximo 7 de agosto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.