Veículos são queimados antes de passeata contra Chávez

Grupo de pessoas encapuzadas incendiou dois caminhões em frente à principal universidade venezuelana

EFE

20 de maio de 2009 | 15h10

Dois caminhões foram queimados nesta quarta-feira, 20, por um grupo de pessoas encapuzadas nas imediações da Universidade Central da Venezuela (UCV) momentos antes do início de uma passeata de estudantes e professores opositores ao governo do presidente venezuelano, Hugo Chávez

 

Os universitários simpatizantes do presidente acusaram os opositores de terem incendiado os veículos. O dirigente estudantil governista Jean Carlos Barrios atribuiu o fato a "infiltrados" que chegaram a Caracas vindos do interior do país para participar da passeata rumo ao Ministério da Educação Superior. Os estudantes que não apoiam Chávez, entretanto, negam a acusação.

 

O Ministro da Educação, Luiz Acuña, disse em um programa da emissora estatal de televisão "VTV" que, apesar de "todo mundo ter direito a protestar, não é preciso queimar nada para entregar um documento" em seu escritório. Acuña afirmou que receberá os estudantes opositores pessoalmente, a quem acusou de tomar como "desculpa" um corte no orçamento universitário para convocar os "protestos políticos" contra o Governo e que se valem de "manipulações".

 

"Alguns reitores quiseram vender a ideia de que o corte de 6% (do orçamento de cada universidade) é contra os estudantes" para gerar "adversidades contra o Governo, quando as instruções" são para não afetar bolsas de estudos, refeitórios e transporte para alunos, explicou.

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaChávez

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.