Venezuela adverte EUA sobre ameaça de ligar país a terrorismo

O governo da Venezuela fez umaadvertência nesta quinta-feira aos Estados Unidos para que nãoincluam o país na sua lista de Estados patrocinadores doterrorismo, citando a possível perda de perda de exportações eempregos e a importância do petróleo venezuelano para os EUA. O governo norte-americano diz estar investigando acusaçõesdo governo da Colômbia de que o presidente venezuelano, HugoChávez, ofereceu 300 milhões de dólares à guerrilha colombianaForças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Em março, uma importante fonte oficial norte-americanadisse que as informações sobre a ligação Caracas-Farc eramperturbadoras, mas que os EUA estavam distantes de incluir aVenezuela na lista de governos terroristas. Washingtonqualifica as Farc como um grupo terrorista. "Houve recentes indicações de que o governo Bush e seusaliados no Congresso querem designar a Venezuela como um Estadopatrocinador do terrorismo", disse o embaixador venezuelano naONU, Bernardo Alvarez, em discurso a advogados e investidoresem Nova York. "Haverá gravíssimas consequências econômicas se uma medidapoliticamente motivada como esta for tomada. Pensem só noscerca de 10,2 bilhões de dólares perdidos em exportações dosEUA à Venezuela, em 230 mil empregos ligados às exportações eem 1,58 milhão de barris de petróleo por dia da Venezuela",afirmou. Atualmente a lista de países que os EUA acusam depatrocinar o terrorismo contém cinco integrantes: Cuba, Irã,Coréia do Norte, Sudão e Síria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.