Venezuela aguarda resultado eleitoral em ambiente de elevada tensão

As eleições presidenciais na Venezuela entraram em um tenso compasso de espera neste domingo, depois que o candidato da oposição denunciou um plano para alterar os resultados, em uma votação que decidirá se o país mantém o legado socialista de Hugo Chávez ou muda radicalmente o seu rumo.

Reuters

14 de abril de 2013 | 23h37

Tanto a equipe do candidato governista Nicolás Maduro como do opositor Henrique Capriles cantaram vitória e prometeram defender o resultado até as últimas consequências, em um ambiente muito sensível pela recente morte do líder bolivariano.

Embora a campanha tenha sido de alta voltagem, com denúncias de irregularidades por parte de ambos os lados, o dia de votação transcorreu em relativa calma até que Capriles sacudiu o país com sua denúncia.

"Alertamos ao país e ao mundo a (existência de uma) intenção de querer mudar a vontade expressa pelo povo!", disse o candidato em mensagem na rede social que foi confirmada por sua equipe de campanha.

O chefe da equipe de Maduro qualificou a mensagem de seu adversário de "irresponsável", pediu calma e que seus seguidores fossem ao palácio presidencial de Miraflores.

"Vamos defender o resultado, vamos defendê-lo com as armas que a Constituição e as leis da República nos proporcionam, mas principalmente com a presença pacífica do povo na rua", disse o prefeito de Caracas, Jorge Rodríguez.

Minutos depois, o secretário da coalizão opositora acusou Rodríguez de tentar enganar o seu povo e o país.

"Nós sabemos perfeitamente o que aconteceu, e eles sabem", garantiu Ramón Aveledo em entrevista coletiva. Ele também acusou seus rivais de "irresponsáveis" por pedirem que as pessoas saíssem às ruas.

As autoridades afirmaram que a participação dos eleitores poderia beirar o recorde da eleição de outubro, quando 80 por cento dos 18,9 milhões de eleitores foram às urnas no último pleito de Chávez.

(Por Diego Oré e Mario Naranjo, com reportagem adicional de Deisy Buitrago, Todd Benson, Girish Gupta e Andrew Cawthorne)

Tudo o que sabemos sobre:
VENEZUELAELEICOESESPERA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.