Venezuela começa a debater reeleição ilimitada de Chávez

Assembleia inicia última discussão para aprovação de emenda que permite que presidente concorra pela 3.ª vez

Efe e Reuters,

14 de janeiro de 2009 | 17h51

A Assembleia Nacional (AN) venezuelana, dominada por parlamentares governistas, iniciou nesta quarta-feira, 14, a última discussão para a aprovação da emenda constitucional proposta pelo presidente do país, Hugo Chávez, para que possa concorrer pela terceira vez seguida à Presidência em 2012.   Veja também: Chávez pode ter dificuldade em referendo, dizem pesquisas   A sessão especial da AN, que possui 167 integrantes, quase todos aliados do Governo, começou às 12h locais e terminará com a aprovação do projeto, antecipou a presidente da casa, Cilia Flores. Chávez está há uma década no poder, e seu mandato vai até 2013.   O venezuelano, no entanto, quer revogar o artigo constitucional que limita os presidentes a dois mandatos de seis anos - ele foi eleito uma vez sob a antiga Constituição, e duas sob a atual. O carismático ex-paraquedista do Exército argumenta que precisa de mais tempo no poder para consolidar a sua "revolução socialista".   Flores também disse que o projeto de emenda será entregue na sexta-feira ao Conselho Nacional Eleitoral (CNE), que terá 30 dias para submetê-lo a referendo popular. Em dezembro, Chávez pediu a seus aliados no Parlamento que apresentassem um projeto de emenda que instaurasse a reeleição ilimitada do presidente, o que foi feito imediatamente.   Desde então, o chefe de Estado vem fazendo pressão para que o referendo relacionado à emenda aconteça em 15 de fevereiro. Além disso, em 5 de janeiro, Chávez pediu que a reeleição ilimitada fosse estendida a todos os cargos eleitos por voto popular, com o argumento de que seria "errado" promover a mudança apenas para o posto de chefe do Estado.  

Tudo o que sabemos sobre:
Hugo ChávezVenezuela

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.