Venezuela comprará armas da Bielo-Rússia

Acordo a ser firmado no final julho superará a marca de US$ 1 bilhão

Efe e Associated Press,

23 Julho 2007 | 18h17

A Bielo-Rússia deve firmar com a Venezuela contratos para a venda de armas em valores que superarão US$ 1 bilhão, informou nesta segunda-feira, 23, Victor Sheiman, secretário do Conselho de Segurança bielo-russo.   Veja Também Chávez deve propor reeleição indefinida Chávez expulsará estrangeiro que criticar governo     "No âmbito da cooperação militar, foram preparados e estipulados com o Ministério da Defesa venezuelano e o presidente Hugo Chávez contratos no valor de mais de US$ 1 bilhão", disse Sheiman à televisão bielo-russa.   O funcionário afirmou que esses contratos foram estipulados durante a recente visita à Venezuela de uma comissão estatal bielo-russa, e que a assinatura desses documentos acontecerá provavelmente no final do mês.   A aproximação amplia o leque de alianças entre o governo de Chávez e regimes considerados controversos por potências ocidentais, em especial os Estados Unidos. Para esses países, a Bielo-Rússia é a "última ditadura da Europa", uma vez que o governo do presidente Alexander Lukashenko é considerado implacável na repressão a seus opositores.   Em sua recente viagem ao país, Chávez propôs uma associação estratégica com a nação ex-soviética. Em discurso, o presidente venezuelano chamou seu colega bielo-russo de "um companheiro de armas".   Nos últimos meses, a Venezuela já havia ampliado sua capacidade bélica após firmar acordos com a Rússia para a compra de armamentos em valores superiores a US$ 3 bilhões.   Cooperação bilateral   Sheiman acrescentou que a cooperação bilateral também inclui o setor energético, para que, no final do ano, empresas bielo-russas comecem a extração de petróleo em pelo menos duas jazidas venezuelanas, segundo a agência russa Interfax.   O funcionário ressaltou que, para incentivar as relações econômicas, os governos dos dois países decidiram criar um fundo de investimento de US$ 500 milhões para desenvolver projetos conjuntos.   Entre esses projetos, Sheiman destacou a construção de fábricas e unidades de montagem de automóveis, caminhões, tratores, maquinaria agrícola, televisores e outros bens de consumo.   O funcionário disse que durante a visita da delegação bielo-russa à Venezuela, foram assinados contratos de cooperação econômica e comercial no valor de US$ 250 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.