Venezuela critica mídia no caso de mala com dólares

Meios de comunicação teriam arquitetado 'linchamento' do presidente Chávez por causa do escândalo

REUTERS

14 de agosto de 2007 | 12h27

O ministro de Energia da Venezuela,Rafael Ramírez, afirmou na terça-feira que meios de comunicaçãohaviam arquitetado um "linchamento" do presidente Hugo Chávezdevido ao caso do empresário venezuelano que tentou entrar naArgentina com uma maleta com 800 mil dólares. Ramírez, que também preside a empresa Petróleos deVenezuela (PDVSA), disse que o escândalo integra um planoarmado pela oposição para manchar o sucesso da política externae da política energética do atual governo. "Montou-se uma espécie de linchamento midiático", afirmouRamírez durante uma entrevista concedida ao canal estatal VTV. "Isso me lembra bastante essas campanhas que arquitetaramcontra nossa política petrolífera, contra a Petróleos deVenezuela, e, consequentemente, contra o presidente Chávez, oalvo derradeiro de todos esses ataques", acrescentou. O caso envolvendo o empresário Guido Alejandro AntoniniWilson, que afirmou ser o proprietário do dinheiro nãodeclarado, provocou a demissão de Claudio Uberti, um argentinoque desempenhava um importante papel nas relações entre aVenezuela e a Argentina. Uberti e Antonini, este último acusado de contrabandodevido ao incidente, chegaram na semana passada a Buenos Airesdentro de um avião particular fretado pela estatal argentinaEnarsa. No mesmo vôo, estavam funcionários públicos dos doispaíses e executivos da PDVSA e da Enarsa. Na segunda-feira, a Venezuela negou-se a pedir desculpas àArgentina e afirmou que o caso não envolve o governovenezuelano. Mas o país disse ter iniciado investigaçõesinternas sobre o incidente. Segundo Ramírez, a empresa dirigida por ele não possui"nenhum tipo de relação" com Antonini, apesar de, nasegunda-feira, o superintendente fiscal da Venezuela terafirmado que o empresário havia feito grandes investimentos naPDVSA. O escândalo envolvendo a maleta ocorre no momento em quemeios de comunicação venezuelanos denunciam casos de corrupçãono setor petrolífero do país, casos esses envolvendo aperfuração de poços de petróleo. Ramírez rebateu essasacusações. O chanceler da Venezuela, Nicolás Maduro, chegou a afirmarna segunda-feira que o governo dos EUA poderia ser oresponsável pelo caso da maleta com dólares. "Como estamos sempre enfrentando essas poderosas entidadesque são a CIA (agência de inteligência norte-americana), oPentágono e suas conspirações, surge a suspeita de que, pordetrás de tudo isso, poderia haver uma armadilha ou umaconspiração", acrescentou Maduro. O assunto tem ocupado bastante espaço nos meios decomunicação da Venezuela e da Argentina, onde se especula sobrea origem e o destino do dinheiro e os laços eventualmenteexistentes entre Antonini e os representantes de ambos ospaíses.

Tudo o que sabemos sobre:
MUNDOVENEZUELACONSPIRACAOMALETA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.